Arquivos vício em celular - Elídio Almeida

vício em celular

Ficar sem celular – Você tem medo de ficar sem seu celular ou incomunicável por muito tempo? Então você precisa ler esse texto. Atualmente tem se falado muito sobre  a “monofobia“. Você sabe o que é isso? Talvez você ainda não tenha ouvido falar sobre a monofobia ou como o termo surgiu. Se este for o caso, espero, com esse post, ajudar você a compreender um pouco mais sobre a tal monofobia. 

ficar sem celular psicólogo em salvador elidio almeida

Monofobia é um nome recente que designa o desconforto ou a angústia causados pela incapacidade de comunicação através de aparelhos celulares, computadores ou tablets. Sua principal característica é uma fobia ou sensação de angústia que surge quando alguém se sente impossibilitado de se comunicar ou se vê incontactável. É o que acontece quanto se estar em algum lugar sem poder usar seu aparelho de celular ou qualquer outro meio de comunicação instantânea.

Lógico que como esse “boom” tecnológico é relativamente novo, o termo monofobia acabou de sair do forno. O termo tem origem na língua inglesa: No-Mobile ou simplesmente No-Mo, que significa sem comunicação móvel. Em português a nomenclatura ganhou a junção de fobia. A monofobia vem sendo chamada de medo ou fobia de ficar incomunicável ou medo de ficar sem celular. Complexo, não? Mas o mais importante nisso tudo é tentarmos compreender que comportamentos há por trás desse termo.

ficar sem celular psicólogo em salvador

Você consegue ficar sem celular por muito tempo?

Ultimamente tenho falado de muitos termos novos aqui no blog. Foi assim há um tempo quando falei de bullying e mais recentemente sobre Whatsappitis – que tem sido considerada a doença do WhatsApp. Assim, seguindo essa tendência, quis trazer aqui nesse post o termo da vez: monofobia. Espero, desde já, que você tenha compreendido a que ele se refere, mas, o mais importante é que compreenda o recado que esse termo pode estar sinalizando sobre nossos comportamentos diante do nosso acesso e convívio com as tecnologias e hábitos que adquirimos em função deles.

Ultimamente estamos perdendo o que alguém no passado classificou como “comportamento humano”. Com isso estamos deixando para trás nossas habilidades de interações sociais e nossas relações interpessoais. Hoje vivemos num contexto onde, pouco a pouco, estamos nos tornando mais frios e distantes das pessoas e aquilo que talvez tenha sido idealizado para nos unir tem surtido o efeito completamente oposto. Quando observamos os mais jovens temos uma visão ainda mais pessimista do futuro e a situação só tende a se agravar nas próximas gerações.

Seu vício em celular pode matar muita gente, inclusive você!

Selfie e egocentrismo: Quem curte e compartilha também estimula e aprova!

Você é viciado em celular? Cuidado, você pode ter déficit em suas habilidades sociais.

O perigo de se expor demais nas redes sociais. Se sua vida inteira estanha internet, ela poderá ser usada contra você.

Hoje, para você ter uma ideia, crianças não interagem nos parquinhos, praças, playgrounds ou nas ruas de suas casas. Estas mesmas crianças conseguem reconhecer com muito mais facilidade as expressões faciais dos avatares dos seus jogos ou emoticons dos seus celulares, mas têm extrema dificuldade para reconhecer sentimentos básicos como felicidade ou tristeza nas outras pessoas.

ficar sem celular psicólogo em salvador elidio terapia

Os adolescentes possuem cada vez mais dificuldades de estabelecer relações de amizades, afetivas ou amorosas. Já os adultos tendem a repetir o que viveram nas gerações anteriores; somando-se a esta característica a necessidade de se inserir em relacionamentos, grupos sociais, desenvolvimento profissional e várias outras relações que exigem habilidades que não foram aprendidas na época devida.

Por isso, fica aqui minha dica como humano e como profissional: não se atenha apenas ao termo, procure compreender o recado que ele está dando, verifique se sua vida está sendo modificada ou prejudicada por isso e tome atitudes. Não tenha medo e se precisar de ajuda, não hesite em procurar alguém de sua confiança!

Vício em celular – Há uma ano falei aqui no blog sobre o vício em celular e o que poderia estar sendo um ensaio para uma nova doença da modernidade: a WhatsAppitis. Ao menos é assim que vem sendo chamada  uma lesão por esforço repetitivo no pulso, causada pela frequência excessiva e a forma com que digitamos nos smartphones (confira aqui).  Embora algumas pessoas tenham se assustado com a questão, de fato, estamos diante de um fenômeno que tende a piorar.

Você, por exemplo, deve ser uma pessoa que vive grudada em seu smartphone, não é verdade? Se não, certamente você já deve ter presenciado alguém andando e teclando ao celular ao mesmo tempo ou conhece alguém que não desgruda do celular para nada, que faz selfie das coisas mais bizarras e que posta tudo nas redes sociais, correto? Ah tá, pensei que eu fosse o único a perceber essas coisas!

Então, hoje vi o vídeo abaixo e ele tem sido um dos mais visualizados do YouTube. Em apenas 20 dias, desde sua publicação, já possui cerca de 2 milhões de visualizações. O vídeo me chamou a atenção não só pelas cenas apresentadas, mas – principalmente pelo seu sucesso na internet. O sucesso é tamanho que podemos entender que todas essas visualizações se devem ao fato de mostrar fidedignamente (embora com doses bem caricatas) exatamente o que estamos vivendo em nosso cotidiano, além de mostrar as consequências para os que já aderiram à mania dos smartphones, e são viciadas em internet móvel ou são dependentes das exposições nas redes sociais.

Vídeo alerta para vício em celular.

Como já disse em várias postagens aqui no blog ou em contribuições para veículos de comunicação, é fato que os smartphones e toda tecnologia que temos acesso hoje nos ajudam e facilitam muito nossa vida. A forma como não estabelecemos limites para utilização dessas ferramentas sugere que não estamos preparados. Também não estamos amadurecidos suficientes para conviver com tamanhos recursos. Estamos perdendo a habilidade de pensar nas consequências dos nossos comportamentos, socializar e valorizar o que nos define enquanto humanos. Ou seja, estamos deixando de ser sensível ao contexto e às relações interpessoais.

Por isso, pense: Seu vício em celular pode matar muita gente, inclusive você!

28/05/2015
ficar sem celular psicólogo em salvador

Monofobia: Você tem medo de ficar sem seu celular?

09/05/2015
vício em celular psicólogo em salvador

O vício em celular pode matar muita gente, inclusive você!

Agende pelo WhatsApp