Arquivos saúde psicológica dos médicos - Elídio Almeida

saúde psicológica dos médicos

Ao contrário do que muitos pensam, ser médico não é fácil. A prática da medicina sofreu muitas alterações nos últimos anos. Nesse sentido, o estresse ocupacional tem afetado a saúde psicológica dos médicos. Em muitos casos, há interferências não só no exercício da profissão como também na vida pessoal desses profissionais. Não obstante, as condições de trabalho estão cada vez mais exigentes e desgastantes. Diariamente, desde a formação, o médico tem que lidar com carga horária excessiva, além das cobranças pessoais, institucionais e sociais cada vez maiores.

Nos últimos anos, os médicos vêm lidando com muitas perdas, entre as quais, a qualidade de vida e a autonomia em seu ambiente de trabalho. A exposição a situações cada vez mais estressantes, seja nas instituições em que trabalham ou com o público ali atendido, tem aumentado a vulnerabilidade desses profissionais.

Por tudo isso, os reflexos dessa rotina profissional vêm interferindo na saúde psicológica dos médicos. De forma cada vez mais freqüente, os prejuízos refletem nas relações afetivas, familiares e sociais.

Não por acaso, cada vez mais, o abuso de substâncias para aliviar o impacto dessa realidade vem aumentando consideravelmente. Isso vem provocando nos médicos um gigantesco quadro de adoecimento emocional, desencadeando especialmente quadros de depressão e suicídio, temas raramente discutidos.

A representação social dos médicos.

Para compreendermos a saúde psicológica dos médicos, precisamos deixar de lado a representação social que esses profissionais possuem. Somente abrindo mão do estereótipo social do médico é que vamos conseguir enxergar as pessoas por trás da profissão.

Estudos que versam sobre a representação social do médico informam que esse profissional geralmente é visto como:

  • Pessoa financeiramente rica e bem-sucedida, por isso, não tem problemas;
  • Detentor de um conhecimento privilegiado, motivo pelo qual tem a obrigação de saber todas as coisas;
  • Pessoa com disponibilidade integral para servir;
  • Alguém que ganha muito para fazer pouco;

Lamentavelmente, essa visão é amplamente difundida na nossa sociedade. Com isso, a população generaliza e rotula injustamente nossos médicos. Não bastasse essa avalanche social, muitos governantes e instituições incitam a população a declarar guerra aos médicos. Agindo dessa forma, transferem a esses profissionais a responsabilidade pelo caos atualmente visto na saúde do país, especialmente na esfera pública. No discurso dessas pessoas, propaga-se que os problemas e a falta de acesso à saúde são culpa dos médicos, fazendo com que estes recebam, em sua atuação profissional, uma carga emocional altamente danosa e muito superior às inerentes à sua atuação.

Isso tem levado os médicos a desenvolver habilidades para além de suas funções. Além do saber técnico, são requeridos a driblar, cotidianamente, as cobranças, insultos e agressões físicas e morais em seu ambiente de trabalho. São eles que suportam a insatisfação da população com o sistema de saúde (público e privado). Por conseguinte, poucas pessoas conseguiriam viver a rotina dos médicos.

Além de serem julgados socialmente e expostos, nem sempre os médicos possuem condições adequadas para o exercício de suas funções profissionais. E não para por aí.  Os médicos ainda sofrem outros danos.

Há uma cobrança e uma disputa nem sempre tácitas entre os próprios médicos. Muitas vezes, eles mesmos cobram de seus pares posições sociais que também geram prejuízos. Especula-se que todos os médicos devem ter supercarrões, mega-apartamentos, amplo histórico de viagens ao redor do mundo, festas de casamentos faraônicas… Como se isso fosse um requisito mínimo para quem é médico.

Implicitamente, propaga-se que, para ser médico, você tem que cumprir todos esses requisitos sociais. Tais ocorrências têm provocado não só a exigência de trabalhar mais para suprir essas “necessidades”, Elas têm ocasionado também afastamento familiar, social e uma variabilidade de adoecimentos psicológicos e emocionais.

Os médicos estão emocionante doentes.

Sim, essa é uma constatação lamentável. O contexto em que muitos médicos estão inseridos tem levado a uma perda dos filtros da realidade e à ausência de posicionamentos mais adequados para trazer equilíbrio à vida pessoal e profissional.

Estudos mostram que, com o passar dos anos, os médicos vêm perdendo cada vez mais qualidade de vida. Em associação com essa realidade, eles estão entre os maiores consumidores de antidepressivos e ansiolíticos. Além disso, eles raramente conseguem manter uma alimentação balanceada, freqüência regular de atividades físicas e descanso.

Os ambientes de trabalho dos médicos geralmente são muito tensos e geradores de ansiedades desmedidas. Os conflitos com superiores, com a equipe e com o público atendido são frequentes e exigem dos médicos preparo psicológico e emocional que nem sempre lhes é viável. A rotina intensa de trabalho tem afastado esses profissionais do seu núcleo familiar e da vida social, trazendo muitos prejuízos aos relacionamentos, especialmente aos namoros e casamentos.

A saúde psicológica dos médicos.

Muitos médicos foram afetados pelo desafio de trabalhar exacerbadamente para acumular bens materiais de que raramente conseguem usufruir adequadamente. A maioria tem sido guiada pelas representações descontextualizadas da profissão. Com isso, acabam legitimando um padrão comportamental do qual eles são a principal vítima. Não por acaso, os profissionais de saúde estão entre os maiores acometidos pelo estresse ocupacional, ansiedade, depressão e pela síndrome de burnout.

Por tudo isso, precisamos refletir sobre a saúde psicológica dos médicos em nossa sociedade. Precisamos enxergar com mais atenção as pessoas por trás dos jalecos e dos estetoscópios. Compreender a realidade deles fará com que se tenha mais sensibilidade acerca dos problemas que enfrentam em seu dia a dia.

Nos próximos posts, falarei mais sobre a vida psicológica e emocional dos médicos. Se você tem alguma dúvida, crítica ou sugestão, escreva para mim.

27/08/2018
saúde psicológica dos médicos psicólogo em salvador

Estresse ocupacional afeta a saúde psicológica dos médicos.

Agende pelo WhatsApp