Arquivos polêmica - Elídio Almeida

polêmica

A mais nova propaganda da Boticário me chamou a atenção. Acredito que ela se tornará mais uma grande polêmica que irá viralizar na internet e nas redes sociais. A peça publicitária mostra depoimentos de casais que estão se divorciando e durante o vídeo explicam por que a “magia do relacionamento acabou“. A partir daí, a empresa se propõe a fazer uma “transformação” visual nas mulheres, com o intuito de reforçar a autoconfiança neste momento da separação e do divórcio.

Polêmica do Boticário

Ocorre que, mesmo com o argumento de restaurar ou destacar a autoconfiança das mulheres (que naturalmente ficam abaladas neste momento), o Boticário também passa uma mensagem que agride os conceitos de relacionamentos saudáveis entre os casais. Além de reforçar o tão combatido estereótipo machista que obriga as mulheres a ficarem bonitas para conquistar os homens, mostra a errada ideia de que as pessoas precisam ser sempre “lindas” para manter seus relacionamentos. Isso é uma ideia extremamente conservadora, injusta e irreal.

Diariamente recebo em meu consultório pessoas que estão sofrendo em seus relacionamentos. Muitos desses sofrimentos vêm de absurdos como esse incentivado nesta campanha do Boticário. Em meu trabalho como terapeuta de casal, sempre que posso, procuro passar para meus pacientes que “a magia” de qualquer relacionamento está em enxergarmos as pessoas com as quais nos relacionamos da forma que elas são.

Desde criança, nas primeiras aulas de ciência, aprendemos que as pessoas nascem, crescem, envelhecem e morrem. Ou seja, ciclos são cumpridos, transformações naturalmente ocorrem em nossa vida. E, justamente por isso, não devemos valorizar exclusivamente um mero estereótipo tão passageiro e subjetivo.

polêmica psicólogo em salvador elidio almeida

Pessoas que pensam que devem sempre estar “lindas” para manter seus relacionamentos se iludem em ambos os lados da relação:

1) quem deixa de gostar só porque as mudanças naturais ocorreram ou que valoriza apenas esse critério em seus pares, esquecem-se que também estão sujeitos às mesmas leis das transformações e do julgamento alheio e com isso poderão ser tão vítimas quanto algozes.

2) Quem se esforça para manter-se sempre “linda” ou “lindo”, demonstra que nada mais tem a oferecer além de uma imagem artificialmente montada e fluída que sai a cada lavagem e precisa ser sempre renovada.

Por esses e outros equívocos, muitos relacionamentos vivem mal, as pessoas são infelizes e muitos divórcios e separações ocorrem a todo momento. E o ciclo acaba se abrindo novamente em busca de alguém para satisfazer ou alguém que satisfaça os critérios do olhar.

Segurança que pode sair com água.

Penso que o Boticário – enquanto empresa que visa lucro financeiro – acertou em cheio com esse vídeo infeliz no que se refere a divulgação de sua marca e seus produtos [muita gente comentando sobre o Boticário, inclusive eu. =( ]. Porém, como formadora de opinião e marca influente na sedimentação de conceitos e padrões de comportamento, a empresa presta, com esta publicidade, um tremendo desserviço à população brasileira. Especialmente aos relacionamentos afetivo-amorosos e aos casais (divorciados ou não).

Assista ao vídeo e faça sua análise.

Na última semana de novembro, o psicólogo Elídio Almeida gravou entrevista para o programa TVE Esporte, da TVE Bahia. Elídio falou sobre a polêmica gerada pela curta frase que teria sito dita pelo meia Júlio Baptista na 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Maracanã.

Polêmica: entenda o caso.

Durante a partida o jogador do Cruzeiro disse o que parece ser “faz logo outro” para o zagueiro adversário, exatamente no momento em que uma câmera registrava a cena. O fato que foi suficiente para gerar toda a polêmica e ganhar notoriedade em todos os veículos de notícias, pois muitas pessoas acreditaram que poderia ter havido algum combinado que pudesse manipular o resultado do jogo. Veja o vídeo abaixo:

Como você também pode ver – e o próprio jogador confirmou – a tão polêmica frase realmente foi dita, mas muita gente se precipitou na análise. Isso porque muita gente cometeu o mesmo erro que é feito diariamente em muitos contextos na vida das pessoas: a análise fracionada dos comportamentos. Ou seja, as pessoas observam um comportamento pontual e, a partir dele, tiram suas conclusões.

No caso do jogador, a própria cena em que a frase é dita transmite uma série de outras informações. Ainda assim, as pessoas se limitaram a fazer apenas a leitura labial do que foi dito. Basta observar como ele emite gestos e sinais de insegurança ao falar a frase durante o jogo. E o mesmo não se repete quando ele está sendo entrevistado pelo repórter após o jogo.

A entrevista, por sinal, apresenta condições mais adequadas para analisar o comportamento do jogador. Há o antes, o durante e o depois, criando uma cadeia de comportamento que favorece compreender as motivações para a ação e as consequências que esta ação trouxe ao contexto. Nela, podemos ver o jogador mais tranquilo, sem grandes sinais de insegurança e transmitindo seu entendimento e sua versão para o fato de forma mais favorável a entendermos que é pouco provável que ele realmente tivesse querendo entregar o jogo.

polêmica terapia de casal em salvador com o psicólogo Elídio Almeida

Ao bem da verdade, essa polêmica pode nos ensinar, dentre outras, duas coisas bastante interessante:

Primeiro, que devemos, antes de tirar conclusões, analisar melhor os fatos (o que aconteceu antes, quais foram as motivações que favoreceram a emissão do comportamento, por que isso se repete, quais as prováveis consequências, o que mantém esse comportamento, dentre outros aspectos). Talvez, fazendo análises mais sistêmicas poderemos obter respostas mais seguras. Segundo, essa polêmica toda nada mais é do que o reflexo da nossa sociedade atual, pois parece que nas mais variadas situações as pessoas tanto cometem erros brutais ao analisar ou tentar compreender os comportamentos alheios (maridos, namorados, amigos, familiares, colegas de trabalho…), como também são vítimas desses julgamentos de forma totalmente preconceituosa.

São coisas desse tipo que sempre discutimos na terapia comportamental: como muitas pessoas falham ao analisar comportamentos, acontecimentos e situações, sejam elas do presente, passado ou futuro. Por isso, é sempre importante irmos em busca de informações e compreensões mais consistentes e adequadas, para driblarmos as análises precipitadas e assim evitarmos problemas e limitações nos comportamentos e relações.

09/01/2016
polêmica psicólogo em salvador

Ser “LINDA” é o mais importante numa relação ou outra propaganda polêmica do Boticário?

10/12/2013
polêmica terapia de casal em salvador com o psicólogo Elídio Almeida

A análise fracionada dos comportamentos
e a polêmica esportiva em programa de TV.

Agende pelo WhatsApp