Arquivos autoestima - Elídio Almeida

autoestima

Em alguns momentos de nossa vida percebemos que não estamos felizes em relação a nós mesmos. Isso ocorre quando não conseguimos encontrar em nós mesmo elementos que nos valorize o suficiente. Ou seja, quando isso ocorre, costumamos considerar que estas pessoas estão com a autoestima baixa.

A autoestima está relacionada ao autoconhecimento, pois o autoconhecimento pode auxiliar-nos a melhorá-la. Ao nos sentirmos chateados com algo, notarmos que nossa autoestima diminui. De certo, por meio de um “mapeamento” adequado dos sentimentos e emoções, podemos descobrir as condições da origem deste estágio. Por assim dizer, podemos analisar melhor o contexto que pode ter originado e está mantendo ela situação. Assim, passaremos a nos conhecer melhor. Em outras palavras, compreender de uma maneira mais adequada nossa trajetória. O que nos favoreceria a descoberta do que efetivamente precisamos mudar para nos sentirmos bem e elevarmos nossa autoestima.

Às vezes, quando nossa autoestima está baixa, tendemos a nos questionar se estamos exigindo demais de nós mesmos. Quando isso ocorre costumamos impor objetivos exacerbados. Isso pode representar ainda mais mudanças grandes e rápidas demais as nossas possibilidades. Se nosso nível de exigência for alto, a decepção quando as coisas não derem certo provavelmente será enorme.

Ter objetivos é muito importante. Todavia, alcançá-los passo a passo, dentro do que é possível no momento, pode ser uma alternativa. Sobretudo, pelo fato de ser algo mais saudável para nos bem-estar. Quando deparamo-nos com um problemão devemos dividi-lo em probleminhas. Nesse sentido, perceberemos que podemos lidar com uma situação por vez. Afinal, cada etapa resolvida é uma pequena vitória. Ou seja, representa um passo à frente em nossa jornada.

Autoestima: entenda.

A autoestima também é algo que se constrói. Ela começa a ser construída quando os pais valorizam os filhos, levando em conta suas opiniões e sentimentos, dando-lhes atenção, independentemente de suas notas escolares e de seu comportamento, evidenciando, dessa forma, que os amam e os valorizam. Pais que incentivam seus filhos a descreverem como se sentem, os ajudam a se conhecer e a construir sua autoimagem.

É importante que prestemos atenção aos nossos próprios sentimentos e que esse seja o principal critério de nossas escolhas. Quando passamos a nos perguntar e nos importar sobre como estamos nos sentindo, ou quando somos sensíveis ao que há em nosso interior, temos mais chances de optar por coisas que nos façam bem e que contribuam para que nossa autoestima permaneça elevada.

28/10/2010
autoestima-baixa-tratamento-psicológico em salvador

Problemas com a Autoestima?

Agende pelo WhatsApp