teapia-para-toc psicólogo em salvador

Transtorno Obsessivo-Compulsivo – TOC

O Transtorno Obsessivo-Compulsivo, ou TOC, como é popularmente conhecido, é o quarto transtorno mental mais freqüente no mundo e atinge de 2 a 3% da população do planeta. No Brasil, aproximadamente sete milhões de pessoas já desenvolveram esse transtorno. O TOC afeta todas as idades e ambos os sexos. Inicia-se, geralmente, entre o final da adolescência e o princípio da vida adulta, podendo ser relacionado com momentos de mudanças significativas na vida da pessoa ou com situações de extrema e intensa ansiedade.

toc transtorno obsessivo compulsivo

Como se comportam as pessoas com transtorno obsessivo-compulsivo?

As pessoas, acometidas pelo TOC, são dominadas por pensamentos  ou ideias recorrentes como, por exemplo, “será que estou com mau cheiro?” ou “será que tranquei a porta da casa?”. E, para reduzir a ansiedade e angústia geradas pelos pensamentos obsessivos, a pessoa passa a desenvolver comportamentos repetitivos e ritualísticos (ficar horas no banho ou conferir várias vezes  se uma porta está trancada).

Uma equipe da Universidade Anhembi Morumbi, situada na capital paulista, em um dos episódios da série “Conversas de Elevador”, abordou a temática do TOC e, no vídeo abaixo, é possível observar alguns rituais empreendidos por alguém que possui TOC e, em outros momentos, a maneira como  devemos agir durante o contato com essas pessoas.

A pessoa com TOC fica presa a um círculo vicioso pois o que faz para tentar obter alívio  (as compulsões), na verdade mantém e intensifica o problema. As obsessões deflagram compulsões que reforçam as obsessões. Isto significa que quanto mais rituais a pessoa realizar  para sentir-se melhor, mais ela se tornará escrava das obsessões e refém do próprio pensamento e dos rituais. Tal círculo gera um sofrimento intenso e faz com que a pessoa sinta-se diferente e envergonhada diante de outras pessoas. Paralelamente ela passa a ser percebida pelos outros como sendo estranha e chata, o que acaba comprometendo ainda mais suas interações sociais.

tratamento para toc transtorno obsessivo-compulsivo

As obsessões mais comuns são:

  • dúvida: uma sensação de incerteza sobre se algo foi ou não  realizado. Isso tende a levar a rituais de verificação contínua;
  • colecionismo: fixação em colecionar objetos sem utilidade ou a tendência em não desfazer-se de objetos, por considerar que os mesmos poderão ser úteis no futuro;
  • contaminação: medo excessivo de contaminar-se com vírus, bactérias ou substâncias tóxicas. Esse tipo de obsessão leva a rituais de limpeza e de banhos constantes ;
  • pensamento automático: a pessoa passa a ter  certeza de que se não cumprir determinadas “tarefas, como, por exemplo, repetir inúmeras vezes uma mesma frase ou palavra, jamais ficará livre dos pensamentos ruins;
  • sexual: há a presença constante de pensamentos eróticos e ideias libidinosas.

 

Para concluir, é importante ressaltarmos que o TOC traz muitos prejuízos à pessoa acometida por esse transtorno, especialmente pela associação deste com quadros graves de ansiedade e depressão. Por isso, um profissional qualificado deve ser consultado para realização de um diagnóstico preciso e para a adoção do tratamento mais adequado.

 

Dr. Elídio Almeida
Psicólogo | CRP 03/6773
(71) 98842-7744 Salvador – Bahia
elidioalmeida.com

Elídio Almeida
elidio@elidioalmeida.com

Psicólogo formado pela Universidade Federal da Bahia – Ufba, especialista em Terapia de Casal & Família, membro da Association for Behavior Analysis International (ABAI). Psicólogo clínico, faz atendimento individual, para casais e famílias. Oferece cursos de desenvolvimento pessoal, palestras, orientação vocacional e avaliação psicológica.

No Comments
  • Transtorno do Pânico « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 21:49h, 29 agosto

    […] a outros transtornos, como de ansiedade generalizada ou especifica (como agorafobia), depressão, transtorno obsessivo compulsivo. De acordo com alguns relatos de clientes os ataques surgem aparentemente “do nada”: De […]

  • Transtorno do Pânico « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 21:49h, 29 agosto

    […] a outros transtornos, como de ansiedade generalizada ou especifica (como agorafobia), depressão, transtorno obsessivo compulsivo. De acordo com alguns relatos de clientes os ataques surgem aparentemente “do nada”: De […]

  • Transtorno do Pânico « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 21:49h, 29 agosto

    […] a outros transtornos, como de ansiedade generalizada ou especifica (como agorafobia), depressão, transtorno obsessivo compulsivo. De acordo com alguns relatos de clientes os ataques surgem aparentemente “do nada”: De […]

  • Paulo Pinheiro
    Posted at 11:06h, 12 maio

    Muito boa explicação sobre os “sintomas” do TOC, porém acho que deveria explicitar menos como deve ser feito o tratamento, assim as pessoas o procurariam mais para solucionar estes problemas.

  • Paulo Pinheiro
    Posted at 11:06h, 12 maio

    Muito boa explicação sobre os “sintomas” do TOC, porém acho que deveria explicitar menos como deve ser feito o tratamento, assim as pessoas o procurariam mais para solucionar estes problemas.

  • Paulo Pinheiro
    Posted at 11:06h, 12 maio

    Muito boa explicação sobre os “sintomas” do TOC, porém acho que deveria explicitar menos como deve ser feito o tratamento, assim as pessoas o procurariam mais para solucionar estes problemas.

  • JUCIARA NASCIMENTO ROCHA
    Posted at 20:35h, 15 maio

    TEMOS QUE ENTENDER,E RESPEITAR O JEITO DE SER DE CADA UM DE NÓS

    • Elídio Almeida
      Posted at 20:41h, 15 maio

      Olá Juciara, obrigado pelo comentário. Você tem toda razão, mas principalmente não devemos esquecer que muitas pessoas precisam de ajuda e não devemos nos comportar com elas apenas em função desta patologia.

  • JUCIARA NASCIMENTO ROCHA
    Posted at 20:35h, 15 maio

    TEMOS QUE ENTENDER,E RESPEITAR O JEITO DE SER DE CADA UM DE NÓS

    • Elídio Almeida
      Posted at 20:41h, 15 maio

      Olá Juciara, obrigado pelo comentário. Você tem toda razão, mas principalmente não devemos esquecer que muitas pessoas precisam de ajuda e não devemos nos comportar com elas apenas em função desta patologia.

  • JUCIARA NASCIMENTO ROCHA
    Posted at 20:35h, 15 maio

    TEMOS QUE ENTENDER,E RESPEITAR O JEITO DE SER DE CADA UM DE NÓS

    • Elídio Almeida
      Posted at 20:41h, 15 maio

      Olá Juciara, obrigado pelo comentário. Você tem toda razão, mas principalmente não devemos esquecer que muitas pessoas precisam de ajuda e não devemos nos comportar com elas apenas em função desta patologia.

  • Você sabe o que é Tricotilomania? | Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 00:29h, 04 março

    […] três hipóteses – esquizofrenia, retardo mental e depressão associada a algum tipo de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Depois do diagnóstico, o tratamento é feito com sessões de […]

  • Você sabe o que é Tricotilomania? | Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 00:29h, 04 março

    […] três hipóteses – esquizofrenia, retardo mental e depressão associada a algum tipo de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Depois do diagnóstico, o tratamento é feito com sessões de […]

  • Você sabe o que é Tricotilomania? | Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 00:29h, 04 março

    […] três hipóteses – esquizofrenia, retardo mental e depressão associada a algum tipo de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Depois do diagnóstico, o tratamento é feito com sessões de […]