Parafilias: conheça algumas taras sexuais e saiba quando elas precisam de tratamento.

Parafilias e taras sexuais psicólogo Elídio Almeida, especialista em terapia de casal em salvador

Parafilias: conheça algumas taras sexuais e saiba quando elas precisam de tratamento.

Um dos textos de maior acesso no meu blog fala sobre efebofilia [veja aqui]. A efebofilia faz parte de um conjunto de comportamentos sexuais classificado por Parafilias. A princípio, os nomes podem parecer estranhos. No entanto, os comportamentos a que eles se referem são bem conhecidos. Popularmente, as parafilias são aqueles comportamentos classificados como taras ou transtornos sexuais. Neste post, apresentarei algumas dessas condutas sexuais não convencionais na nossa cultura.

Conhecer as as taras sexuais pode ajudar você a lidar com algumas delas, especialmente se esses comportamentos sexuais incomuns estiverem lhe causando problemas ou violando direitos de outras pessoas.

 

Parafilia e taras sexuais psicólogo Elídio Almeida, especialista em terapia de casal em salvador

 

Estranho é achar que a função do sexo é apenas para procriação.

Houve um tempo em que se acreditava que o ato sexual deveria se restringir ao objetivo da procriação. Naquela época, o sexo teria de ser praticado entre dois adultos (vivos), um homem e uma mulher (casados) e com o intuito exclusivo de gerar filhos. O mais assustador é que tudo o que fugisse a esse padrão era considerado doença ou grave transtorno de conduta. Para se ter ideia, até o prazer sexual, especialmente para a mulher, era rechaçado.

Felizmente, os estudos e a compreensão sobre a dinâmica dos comportamentos sexuais humanos evoluíram. Hoje é possível separar o joio do trigo e traçar definições bem mais nítidas em relação aos comportamentos sexuais e as parafilias.

Ainda que algumas pessoas tenham conceitos presos ao passado, várias parafilias passaram a ser aceitas enquanto outras tiveram sua classificação merecidamente tipificadas como crime, como são os casos da pedofilia, zoofilia, efebofilia, necrofilia, frotismo, entre outras.

 

DENDROFILIA Parafilias e taras sexuais psicólogo Elídio Almeida, especialista em terapia de casal em salvador

Dendrofilia: atração sexual por plantas

 

Hoje, pessoas e profissionais responsáveis conseguem enxergar as parafilias de outro modo. Isso significa dizer que há um olhar:

  • mais contextualizado nos valores éticos e legais da coletividade.
  • focado na compreensão da dinâmica dos comportamentos humanos.
  • preocupado com valorização da conjuntura sócio-histórica da humanidade.
  • atento para as causas e consequências das parafilias, especialmente no que tange à violação de direitos, especialmente das pessoas indefesas e vulneráveis.

 

 

Seguindo esses critérios, as parafilias serão vistas em três grupos:

  1. Não usuais:
    não violam direitos, apenas são diferentes das práticas mais convencionais
  2. Doentias:
    aquelas que são praticadas em função de uma dependência, transtornos mentais ou visam suprir lacunas emocionais e compensatórias do praticante.
  3. Criminosas:
    são as práticas abusivas, violadoras dos direitos humanos, também associadas a transtornos mentais graves, que ferem as normas éticas, morais e legais da coletividade.

 

necrofilia Parafilias e taras sexuais psicólogo Elídio Almeida, especialista em terapia de casal em salvador

Necrofilia: atração por ter relações sexuais com cadáver

 

Como disse acima, o objetivo deste post é apresentar as parafilias e as taras sexuais. A proposta é ajudar você a reconhecer e questionar a classificação ética desses comportamentos. A partir daí, você poderá avaliar criticamente as possíveis classificações deles como não usuais, doentios e/ou criminosos.

Assim sendo, levando-se em consideração que vivemos numa sociedade regida por leis, regras, normas e condutas que estabelecem os limites entre o certo e o errado para todos, não farei uma classificação geral das parafilias neste post. Muito embora, mesmo sabendo que muitas delas podem ser apenas um fetiche ou veículo de excitação sexual, afirmo e afianço que outras são doentias e criminosas.

A decisão de não classificar cada parafilia em categorias tem uma razão especial. Mesmo com as normalizações legais e sociais, os valores morais e éticos das pessoas nem sempre estão em sintonia com os valores humanitários, legais e coletivos. Por isso, vou me  ater apenas ao fato de apresentar as parafilias. Compete a vocês, caros leitores e leitoras, fazer sua análise e classificação. Vamos a elas?

 

Parafilias: as taras sexuais não convencionais, doentias e/ou criminosas.

  • Aerodromofilia: vontade de transar no avião.
  • Agalmatofilia: atração por estátuas, manequins e bonecos
  • Agorafilia: excitação por transar em lugares públicos.
  • Amaurofilia: excitação por pessoas usando máscaras
  • Anaclitismo ou autonepiofilia: prazer sexual em ser tratado como um bebê, incluindo usar fraldas e chupar chupeta
  • Anadentisfilia: excitação por pessoas sem dentes
  • Autoginefilia: homem que se excita usando roupas femininas
  • Axiliasmo: sexo praticado nas axilas ou fixação por axilas
  • Belonofilia: prazer pelo uso de agulhas ou objetos perfurantes
  • Cisvestismo: excitação provocada por pessoas usando uniformes profissionais, como de bombeiros ou de enfermeiras.
  • Coprofilia: fetiche pela manipulação de fezes, próprias ou do parceiro
  • Coreofilia: excitação provocada por pessoas dançando
  • Crurofilia: fixação por pernas
  • Dacrifilia ou Dacrilagnia: excitação causada pelo choro do parceiro
  • Dendrofilia: atração sexual por plantas
  • Ecdiose: excitação ao tirar a roupa em público
  • Erotolalia: excitação provocada por telefonemas obscenos
  • Espectrofilia: excitação causada pela possibilidade de presença de fantasmas
  • Estigmatofilia: interesse sexual por pessoas com modificações na pele, como tatuagens, piercings ou cicatrizes.
  • Exibicionismo: desejo contínuo de exibir os órgãos sexuais a uma pessoa estranha ou desprevenida.
  • Flatofilia: prazer em cheirar gases intestinais
  • Fornifilia: excitação provocada ao ser tratado como um móvel (cadeira, sofá…)
  • Harpaxofilia: excitação causada quando a pessoa é vítima de assaltos.
  • Hibristofilia: atração sexual por criminosos
  • Hifefilia: excitação causada por determinados tecidos ou peças de roupa
  • Inflatofilia: tesão por balões de festa e outros objetos infláveis
  • Lactofilia: prazer em observar ou sugar leite saindo das mamas
  • Latranudia: excitação ao expor-se a um médico
  • Ludofilia: prazer obtido com brinquedos como carrinhos, bolas e bonecas
  • Masoquismo: satisfação com o próprio sofrimento (aplicação de sofrimento a si mesmo).
  • Mecanofilia: atração por carros e outras máquinas
  • Menofilia: atração por mulheres menstruadas
  • Nanofilia: atração por anões
  • Narratofilia: excitação provocada por dizer ou ouvir palavras obscenas
  • Nasofilia: atração sexual pelo nariz
  • Necrofilia: atração por ter relações sexuais com cadáver
  • Odaxelagnia: excitação causada por mordidas
  • Orquifilia: fixação por testículos
  • Pigofilia: excitação por nádegas
  • Plushofilia: interesse sexual por bichos de pelúcia
  • Podolatria: tesão por pés
  • Pogonofilia: fetiche por pessoas barbadas
  • Poligamia: multiplicidade simultânea de parceiros.
  • Quirofilia: excitação por mãos
  • Sadismo: sente necessidade de criar na vítima uma sensação de terror (aplicação de sofrimentos aos outros)
  • Somnofilia: aqueles que se excitam por pessoas dormindo.
  • Stenolagnia: tesão por pessoas musculosas
  • Temakeri: homem que se excita ao ter os testículos chutados por uma mulher
  • Trampling: prática sexual em que um parceiro pisa o outro, como se fosse um tapete
  • Urofilia: excitação ao urinar no parceiro ou receber dele o jato urinário, ingerindo-o ou não.
  • Voyeurismo ou mixoscopia: prazer pela observação da intimidade de outras pessoas

 

Odaxelagnia Parafilias e taras sexuais psicólogo Elídio Almeida, especialista em terapia de casal em salvador

Odaxelagnia: excitação causada por mordidas

 

Caso você conheça alguma outra parafilia que não esteja nesta lista, por favor deixe nos comentários.

Agora já conhecemos algumas das parafilias. Caso queira saber como surgem esses comportamentos, basta me escrever. Assim, posso fazer outro post explicando – pelo viés da psicologia comportamental – como surgem esses comportamentos sexuais.

 

Dr. Elídio Almeida
Psicólogo | CRP 03/6773
(71) 98842-7744 Salvador – Bahia
elidioalmeida.com

Elídio Almeida
elidio@elidioalmeida.com

Psicólogo formado pela Universidade Federal da Bahia – Ufba, especialista em Terapia de Casal & Família, membro da Association for Behavior Analysis International (ABAI). Psicólogo clínico, faz atendimento individual, para casais e famílias. Oferece cursos de desenvolvimento pessoal, palestras, orientação vocacional e avaliação psicológica.

No Comments

Deixe uma resposta

Agende sua consulta agora.