dia da mentira psicólogo em salvador elidio almeida

Dia da Mentira:
Você pensa nas consequências da mentira?

Hoje é 1º de abril, o dia considerado por muitas pessoas como o Dia da Mentira. Existem várias especulações quanto ao real motivo de o 1º dia do mês de abril ser considerado o Dia da Mentira. Uma delas parte do pressuposto de que a data surgiu na França, pois no século XVI, o Ano Novo era comemorado no dia 25 de março, data que marcava a chegada da primavera. As festas duravam cerca de uma semana e terminavam no dia 1º de abril.

 

 

dia-da-mentira elidio Almeida psicólogo em salvador

Dia da mentira

 

 

Dia da mentira

 

Assim, depois da adoção do calendário gregoriano, o ano novo passou a ser comemorado no dia 1º de janeiro. Dizem que, como alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, algumas pessoas passaram a tirar sarro delas, enviando presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Parece que, de lá para cá, essas brincadeiras – que hoje até poderíamos chamar de bullying– viraram hábito em vários lugares do mundo, especialmente no Brasil.

 

Alguns autores concordam que mentir é uma característica humana e possui várias funções na vida das pessoas. Porém, devemos sempre pesar as consequências dessas mentiras. Algumas pessoas até tentam dizer que a mentira é socialmente necessária. Justificam que ela é usada para não magoar o outro, por exemplo. Outros sabem que ela pode causar o mal, causar intrigas e até destruir a vida das outras pessoas. Há também os que acreditam que mentir sempre traz bons resultados.

O que poucas pessoas levam em consideração é que a mentira, assim como todos os demais comportamentos, sempre produz consequências. E engana-se quem acredita que a mentira traz benefícios. Pelo menos uma pessoa sempre fica prejudicada quando uma mentira é criada. Por isso, é importante ressaltar que a mentira nunca será a melhor saída. Em alguns casos, pode se tornar uma patologia grave, quando usada em excesso e com o intuito de prejudicar outras pessoas.

 

Você pensa nas consequências da mentira? Sabe por que as pessoas mentem?

 

Dia_da_Mentira_dia da mentira psicólogo em salvador

 

 

Em 2011 publiquei aqui no blog um post respondendo a uma pergunta muito frequente: Por que as pessoas mentem? (confira). Nele falamos que, além das consequências que a mentira traz. Há também as condições e estímulos que o contexto apresenta e favorecem que algumas mentiras sejam postas em prática. Contudo, há uma lista gigantesca de motivos que levam as pessoas a mentir. Mente-se por:

  • vergonha
  • orgulho
  • para evitar magoar pessoas ou situações embaraçosas
  • por medo
  • para se proteger de uma possível consequência negativa
  • insegurança
  • baixo autoestima
  • por ganhos
  • para ser aceito
  • por conveniência
  • para causar boa impressão
  • para evitar dar explicações desnecessárias
  • ocultar algum segredo
  • tentar resolver problemas
  • por não saber uma resposta
  • para ser reconhecido
  • preservar autoimagem
  • mentimos até para nós mesmos sem razão aparente
  • também por razões patológicas

Apesar das motivações citadas, é importante observar a circunstância na qual acontece a mentira, e deve-se levar em consideração o pensamento, sentimento e propósitos que acompanham os atos de quem mente. É muito importante também considerar que o hábito de mentir sempre traz consequências e complicações, além de remeter a pessoa a um estado de fantasia constante. A etapa mais crítica é quando a pessoa cria um personagem e acredita nessa ficção.

Quando vira Doença

Mentir muito pode se tornar um transtorno psicológico e até uma doença, quando a mentira deixa de ser esporádica e passa a ser muito frequente. Nesses casos, a pessoa cria um personagem e passa a viver essa fantasia, sem discernimento entre o real e o imaginário. Isso acontece muito, principalmente via internet, pois nela as pessoas têm mais facilidade para camuflar sua realidade e incorporar características de qualquer outra pessoa, acreditando ser ela e vivendo numa realidade paralela.

Pessoas que mentem por qualquer coisa devem ficar atentas. Se isso for algo compulsivo, se pessoa não conseguir falar a verdade na maioria das situações ou se perceber que as mentiras estão prejudicando a si ou a outras pessoas, deve ser encaminhada ou procurar imediatamente ajuda, pois pode se tratar de um transtorno psicológico grave.

Uma psicopatologia apresentada pelo doente mentiroso é a mentira obsessivo-compulsiva ou mitomania, caracterizada como um transtorno psicológico em que a pessoa apresenta uma compulsão pela mentira ou conta mentiras de forma compulsiva. As causas da mitomania são múltiplas, como histórico de vida, baixo autoestima, relacionamentos, primeiras impressões dos pais, genética, experiências de vida, traumas psicológicos entre outros.

Quando a mentira se torna patológica, o indivíduo não controla seu comportamento, muito menos consegue parar de mentir. Este comportamento poderá causar danos em sua vida como: ansiedade, angústia, tristeza, depressão, ocasionando prejuízo e sofrimento relevante e significativo.

 

dia da mentira psicólogo em salvador

 

 

Quem mente mais: o homem ou a mulher?

Muitas pessoas têm essa curiosidade e sempre me fazem essa pergunta. Sempre digo que não há uma proporção definida para a mentira entre homens e mulheres. É certo que ambos mentem, mas não se sabe ao certo quem mente mais. Existe muita especulação e, claro, muita mentira, quanto aos números que são publicados. Mas penso que em cada situação que a mentira é usada existe um contexto que pode levar homens e mulheres a mentir em função da situação e não em função da variável de ser um homem ou uma mulher. Ou seja, não temos a comprovação de nenhuma pesquisa realmente científica que possibilite afirmar que homens ou mulheres mentem mais ou menos. O que os estudos e pesquisas apontam é que sempre há motivos – conscientes ou inconscientes – para a mentira.

 

Mesmo que as pessoas digam que mentem por existir um dia culturalmente eleito para isso ou que mintam por medo, insegurança ou vergonha; é importante lembrar que muitas pessoas mentem por uma doença que nem ela mesmas conseguem lidar. Pode existir uma compulsão instalada. Esse fator pode caracterizar uma tendência patológica à mentira. Por isso, é importante que a pessoa tenha propriedade sobre os motivos que a levam a mentir. E que procure ajuda psicológica, para que  não traga mais sofrimento para si e para os outros.

Dr. Elídio Almeida
Psicólogo | CRP 03/6773
(71) 98842-7744 Salvador – Bahia
elidioalmeida.com

Elídio Almeida
elidio@elidioalmeida.com

Psicólogo formado pela Universidade Federal da Bahia – Ufba, especialista em Terapia de Casal & Família, membro da Association for Behavior Analysis International (ABAI). Psicólogo clínico, faz atendimento individual, para casais e famílias. Oferece cursos de desenvolvimento pessoal, palestras, orientação vocacional e avaliação psicológica.

No Comments

Deixe uma resposta