comportamento-agressivo-lidando-com-a-agressividade-tratamento-psicólogo-em-salvador-550x285

Comportamento Agressivo: Falo o que penso e não levo desaforo pra casa.

Continuando a série de posts sobre os comportamentos Inassertivo, Agressivo e Assertivo, hoje falaremos sobre COMPORTAMENTO AGRESSIVO. Na publicação anterior vimos que mesmo as pessoas inassertivas vão, em algum momento, tentar fazer com que suas opiniões sejam respeitadas. Por  algumas razões, dentre elas por não saberem como fazer isso da melhor forma, acabam sendo agressivas.

como lidar com a agressividade

Para compreendermos melhor o Comportamento Agressivo, vamos analisar desta vez a situação vivida pelo casal Antonio e Maria*. Eles estão casados há cinco anos e recentemente vêm tendo problemas em seu relacionamento, porque ele insiste que ela está muito gorda e precisa emagrecer. Ele repete constantemente o assunto, dizendo que ela não é mais a mesma mulher com quem se casou, que ela está com excesso de peso, que isso faz mal à saúde, que ela é um mau exemplo para as crianças, etc. Além disso, ele a goza, dizendo que ela é uma bola, olha apaixonadamente para as moças magras, comentando sobre o quanto são atraentes, e faz referências pejorativas à sua aparência na frente dos amigos. Maria já está terrivelmente contrariada. Ela tem tentado perder peso, mas sem muito sucesso.

alcool-agressividade tratamento em salvador psicólogo elídio Almeida

No post em que tratamos de inassertividade, se Maria agisse de forma não-assertiva, certamente ela iria pedir desculpas por seu sobrepeso ou simplesmente aceitaria calada as críticas do marido. Mas já sabemos que quando agimos com inassertividade, sentimos raiva, chateação, culpa, ansiedade dentre outros aspectos. Mas como seria se Maria reagisse ao comportamento do marido com agressividade?

Talvez Maria fizesse comentários, dizendo que seu marido não vale grande coisa. Diria que à noite ele cai no sono no sofá, é um péssimo parceiro sexual, não lhe dá atenção suficiente, que age como um “velho sem vergonha” pelo modo que olha as moças atraentes e outros comentários depreciativos em relação ao marido. Veja que estes argumentos de Maria não têm nada a ver com o problema, mas sua raiva só consegue ferir Antonio e construir uma barreira entre eles, defendendo-se com o contra-ataque, ou seja, ela também seria muito agressiva em seu comportamento de reação.

comportamento agressivo tratamento em salvador

Comportamento Agressivo

O comportamento agressivo se caracteriza pelas ações que acabam negando os direitos da outra pessoa, rebaixando, ferindo e humilhando, ou seja, destruindo o outro a fim de atingir seus próprios objetivos. Geralmente a agressividade ocorre quando estamos em uma posição defensiva e nosso sentimento de autoestima está baixo, além de mascarar fortes aspecto,s como sentimentos de culpa e ide nsegurança.

Uma pessoa agressiva é aquela que expressa suas necessidades, preferências, emoções e opiniões de forma hostil, exigente, ameaçadora, humilhante ou punitiva, sem se preocupar com as consequências de suas ações. Claro que uma pessoa que tem este comportamento defende seus posicionamentos e pontos de vista, mas faz isso à custa da violação dos direitos dos outros. Além de gerar ódio e frustração nas outras pessoas, pode provocar revoltas ou até mesmo comportamentos de vingança.

comportamento agressivo agressividade gera agressividade psicólogo elídio almeida

Como nos tornamos agressivos?

Já nascemos assim? Ninguém nasce agressivo. Este é um comportamento originado, geralmente, a partir de um histórico de punições que a pessoa sofreu ao longo de sua vida, pelo reforço negativo (que é a eliminação das estimulações aversivas do contexto), mas, principalmente, pelo estímulo positivo, ou seja, na maioria das vezes em que ela se comportou de forma agressiva obteve algum benefício (teve seu objetivo alcançado). Por exemplo, para mostrar que é ele quem detém o poder na empresa, o chefe grita e ameaça demitir seus funcionários. Quanto mais ele ameaça, mais as pessoas se comportam como ele espera.

Outro exemplo de reforço positivo podemos encontrar no vídeo a seguir:

Observe que o auditório rir muito quando Sílvio Santos humilha a dançarina Carla Perez “insinuando” que ela é burra. O riso do auditório funciona como uma aprovação ao comportamento dele e a probabilidade deste ato se repetir se torna cada vez maior. Reparou como ele pega ainda mais pesado na segunda “piada”? Ou seja, como o reforço foi imediato ele logo aumentou a dose.

Lembro de uma vez que estava discutindo agressividade com um paciente, usamos este mesmo vídeo para ilustração e ele disse: “Mas Elídio, ele foi apenas irônico, não foi agressivo!” Este é um erro muito frequente. A agressividade não se caracteriza exclusivamente pelas manifestações com topografias explicitamente grosseiras (palavras de baixo calão, gestos obscenos…), muitas vezes a agressão é praticada de forma sutil, com conotação de brincadeira, como é o caso da ironia. Mesmo que pareça uma brincadeira, normalmente a intenção é rebaixar e humilhar a o outra pessoa.

tratamento para pessoa agressiva psicólogo elídio almeia em salvador

A ironia  é falta de respeito e pura AGRESSIVIDADE!

Quem é vítima de comportamentos agressivo obviamente sofre bastante com esta questão. Mas quem é agressivo, também não sofre? É muito comum ouvirmos de pessoas agressivas a seguinte frase: “Falo o que penso e não levo desaforo pra casa”. Muita gente que fala isso pensa que atingindo outras pessoas estão fazendo o bem para si, extravasando a raiva ou ódio daquele momento ou situação. Porém, dentre outras conseqüências, quem pratica a agressividade:

  • desenvolve relações interpessoais frágeis;
  • normalmente afasta as pessoas de si;
  • possui dificuldade em controlar suas emoções;
  • tende a desenvolver sentimento de culpa e ansiedade;
  • tem dificuldade em liderar equipes e lidar com o poder;

Normalmente têm complexos de superioridade;

  • é extremamente desconfiado;
  • pode elaborar fantasias para sustentar sua agressividade;
  • é suscetível ao isolamento;
  • geralmente é muito controlador.

A boa notícia em relação a tudo isso é que a Psicoterapia Comportamental pode ajudar tanto quem se identifica com o comportamento agressivo quanto como vítima de agressões. Em ambos os casos, a partir do tratamento, as pessoas aprendem a controlar melhor suas emoções, analisar os contextos e as consequências das ações e, principalmente, a desenvolver formas de se expressar sem a necessidade de negar seus desejos, pensamentos e objetivos, tudo isso sem agredir, ferir ou humilhar as outras pessoas. Na terapia são desenvolvidos treinamentos de habilidades sociais e ampliação dos comportamentos assertivos (comportamentos adequados) em cada situação.

No próximo post da série, falaremos sobre COMPORTAMENTO ASSERTIVO, aguarde!

Dr. Elídio Almeida
Psicólogo | CRP 03/6773
(71) 98842-7744 Salvador – Bahia
elidioalmeida.com

Elídio Almeida
elidio@elidioalmeida.com

Psicólogo formado pela Universidade Federal da Bahia – Ufba, especialista em Terapia de Casal & Família, membro da Association for Behavior Analysis International (ABAI). Psicólogo clínico, faz atendimento individual, para casais e famílias. Oferece cursos de desenvolvimento pessoal, palestras, orientação vocacional e avaliação psicológica.

36 Comments
  • Adriano
    Posted at 14:42h, 02 maio Responder

    Eídio, meu fio, muito bom seu texto, tanto na parte da escrita – muito bem elaborado, coeso – quanto na parte do conteúdo, riquíssimo com vídeos etc. Meus parabéns!Felicidades plenas!Um forte abraço!!

    • Elídio Almeida
      Posted at 16:40h, 02 maio Responder

      Olá Adriano!

      Obrigado! Fico feliz que tenha gostado. Fique à vontade para sugerir outros temas também.

      Abraços.

  • Adriano
    Posted at 14:42h, 02 maio Responder

    Eídio, meu fio, muito bom seu texto, tanto na parte da escrita – muito bem elaborado, coeso – quanto na parte do conteúdo, riquíssimo com vídeos etc. Meus parabéns!Felicidades plenas!Um forte abraço!!

    • Elídio Almeida
      Posted at 16:40h, 02 maio Responder

      Olá Adriano!

      Obrigado! Fico feliz que tenha gostado. Fique à vontade para sugerir outros temas também.

      Abraços.

  • Juciléa Lopes
    Posted at 08:55h, 03 maio Responder

    Mais uma vez PARABÉNS!

  • Juciléa Lopes
    Posted at 08:55h, 03 maio Responder

    Mais uma vez PARABÉNS!

  • Eduardo Rodrigues
    Posted at 12:54h, 03 maio Responder

    Elídio,

    Muito bacana, parabéns!!

  • Eduardo Rodrigues
    Posted at 12:54h, 03 maio Responder

    Elídio,

    Muito bacana, parabéns!!

  • Kerley Alessandra
    Posted at 14:23h, 05 maio Responder

    Elídio muito interessante!
    otimo post, com exemplo reais, enriquecidos com video.

    Parábens, já add seu blog a minha lista de favoritos.

    • Elídio Almeida
      Posted at 15:05h, 05 maio Responder

      Olá Kerley!

      Obrigado pelo comentário. Fico feliz que tenha gostado. Tomei a liberdade de incluí-la na newsletter no Blog. Seus comentários sempre serão bem vindos!

  • Kerley Alessandra
    Posted at 14:23h, 05 maio Responder

    Elídio muito interessante!
    otimo post, com exemplo reais, enriquecidos com video.

    Parábens, já add seu blog a minha lista de favoritos.

    • Elídio Almeida
      Posted at 15:05h, 05 maio Responder

      Olá Kerley!

      Obrigado pelo comentário. Fico feliz que tenha gostado. Tomei a liberdade de incluí-la na newsletter no Blog. Seus comentários sempre serão bem vindos!

  • Ivan Brafman
    Posted at 17:47h, 14 maio Responder

    Oi Elídio.
    O agressivo é um fraco, alguém vazio que todas as vezes que é contestado ou se julga reprimido: exterioriza gestos inesperados, com teores ofensivos, gritando, socando a mesa, numa exaltação incontrolável e muitas das vezes injustificáveis.
    O agressivo não consegue conter seus impulsos e nos seus desatinos tenta atingir as estruturas não só físicas das pessoas, como, principalmente, as emocionais.
    Abraços. Ivan

    • Elídio Almeida
      Posted at 20:56h, 14 maio Responder

      Olá Ivan! Excelente caracterização de comportamentos agressivos, parabéns! Obrigado.

  • Ivan Brafman
    Posted at 17:47h, 14 maio Responder

    Oi Elídio.
    O agressivo é um fraco, alguém vazio que todas as vezes que é contestado ou se julga reprimido: exterioriza gestos inesperados, com teores ofensivos, gritando, socando a mesa, numa exaltação incontrolável e muitas das vezes injustificáveis.
    O agressivo não consegue conter seus impulsos e nos seus desatinos tenta atingir as estruturas não só físicas das pessoas, como, principalmente, as emocionais.
    Abraços. Ivan

    • Elídio Almeida
      Posted at 20:56h, 14 maio Responder

      Olá Ivan! Excelente caracterização de comportamentos agressivos, parabéns! Obrigado.

  • Catia
    Posted at 16:40h, 16 junho Responder

    Este artigo é muito bom , pois fala a lingua dos leigos…. sou estudante de direito e estou fazendo um trabalho sobre Habilidades Sociais e este artigo me ajudou muito.
    Muito obrigada.

    Catia Mendonça dos Santos

    • Elídio Almeida
      Posted at 22:37h, 16 junho Responder

      Olá Cátia, obrigado!

      Se puder ajudar em algo mais estarei à disposição.

  • Catia
    Posted at 16:40h, 16 junho Responder

    Este artigo é muito bom , pois fala a lingua dos leigos…. sou estudante de direito e estou fazendo um trabalho sobre Habilidades Sociais e este artigo me ajudou muito.
    Muito obrigada.

    Catia Mendonça dos Santos

    • Elídio Almeida
      Posted at 22:37h, 16 junho Responder

      Olá Cátia, obrigado!

      Se puder ajudar em algo mais estarei à disposição.

  • O que acontece quando uma criança vira o reizinho da casa? « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 00:29h, 29 agosto Responder

    […] de conduzir a educação dos filhos e até mesmo lidar com os comportamentos mais difíceis de agressividade e rebeldia dos adolescentes, tem levado cada vez mais famílias a buscar o auxilio da psicoterapia […]

  • O que acontece quando uma criança vira o reizinho da casa? « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 00:29h, 29 agosto Responder

    […] de conduzir a educação dos filhos e até mesmo lidar com os comportamentos mais difíceis de agressividade e rebeldia dos adolescentes, tem levado cada vez mais famílias a buscar o auxilio da psicoterapia […]

  • Elídio Almeida | PsicólogoTerapeuta de casal em Salvador responde as 8 principais perguntas sobre a terapia. -
    Posted at 01:09h, 09 janeiro Responder

    […] O terapeuta de casal tem, dentre outras funções, facilitar o diálogo ao trazer à tona o “não dito” que passa a ser dito nas sessões e será devidamente trabalhado e elaborado. Em casos onde o casal passa por uma situação de trauma intenso onde um fala como se o outro tivesse a habilidade de ler pensamentos, o terapeuta auxilia o casal a ter diálogos mais diretos e menos agressivos. […]

  • Elídio Almeida | PsicólogoTerapeuta de casal em Salvador responde as 8 principais perguntas sobre a terapia. -
    Posted at 01:09h, 09 janeiro Responder

    […] O terapeuta de casal tem, dentre outras funções, facilitar o diálogo ao trazer à tona o “não dito” que passa a ser dito nas sessões e será devidamente trabalhado e elaborado. Em casos onde o casal passa por uma situação de trauma intenso onde um fala como se o outro tivesse a habilidade de ler pensamentos, o terapeuta auxilia o casal a ter diálogos mais diretos e menos agressivos. […]

  • Elídio Almeida | PsicólogoPsicólogo Elídio Almeida faz palestra sobre a importância do diálogo em encontro de casais. -
    Posted at 00:43h, 13 janeiro Responder

    […] pautada na construção e manutenção do comportamento assertivo, em detrimento dos comportamentos agressivos e inassertivos, que muitas vezes levam a destruição do relacionamento do […]

  • Elídio Almeida | PsicólogoPsicólogo Elídio Almeida faz palestra sobre a importância do diálogo em encontro de casais. -
    Posted at 00:43h, 13 janeiro Responder

    […] pautada na construção e manutenção do comportamento assertivo, em detrimento dos comportamentos agressivos e inassertivos, que muitas vezes levam a destruição do relacionamento do […]

  • Elídio Almeida | Psicólogo Demonstrar dor e sofrimento: Você faz o certo ou o que dá certo? -
    Posted at 14:12h, 16 fevereiro Responder

    […] da psicologia com situações da nossa vida cotidiana. Quando falo sobre assertividade ou agressividade, por exemplo, é muito comum eu usar um fictício caso do atendimento numa emergência hospitalar. […]

  • Elídio Almeida | Psicólogo Demonstrar dor e sofrimento: Você faz o certo ou o que dá certo? -
    Posted at 14:12h, 16 fevereiro Responder

    […] da psicologia com situações da nossa vida cotidiana. Quando falo sobre assertividade ou agressividade, por exemplo, é muito comum eu usar um fictício caso do atendimento numa emergência hospitalar. […]

  • Sally Lima
    Posted at 07:02h, 05 março Responder

    olha doutora achei o teu trabalho muito bom,me ajudou num trabalho. Agradecida

  • Sally Lima
    Posted at 07:02h, 05 março Responder

    olha doutora achei o teu trabalho muito bom,me ajudou num trabalho. Agradecida

  • Elídio Almeida | Psicólogo. Terapia de casal: Não faça como os fãs de Claudia Leitte e Ivete Sangalo. -
    Posted at 09:05h, 18 março Responder

    […] e aprenderam de forma inadequada a defender suas opiniões, crenças, comportamentos e diferenças; diminuindo ou humilhando os que pensam diferente. Muitas vezes as pessoas que se comportam dessa forma, nem percebem que se […]

  • Elídio Almeida | Psicólogo. Terapia de casal: Não faça como os fãs de Claudia Leitte e Ivete Sangalo. -
    Posted at 09:05h, 18 março Responder

    […] e aprenderam de forma inadequada a defender suas opiniões, crenças, comportamentos e diferenças; diminuindo ou humilhando os que pensam diferente. Muitas vezes as pessoas que se comportam dessa forma, nem percebem que se […]

Deixe uma resposta