homofóbica-terapia-de-casal-em-salvador

Propaganda das Havaianas com mensagem homofóbica

A marca de sandálias Havaianas lançou este mês sua campanha publicitária para o verão 2010 que tem sido acusada de conter mensagem homofóbicaQue tal analisarmos a peça para ver o que ela diz? Assim, esse exercício pode nos ajudar a compreender a mensagem da propaganda.

 

O comercial começa com o patrulheiro rodoviário perguntando se tem arma no carro. Qual é a resposta de um dos rapazes? “Tinha um canhão, mas a gente já deixou a namorada dele em casa”. Nem vou me ater muito a esta informação para não entrar noutras questões preconceituosas de machismo e gênero.

Em seguida a propaganda faz uma coisa legal, que é chamar a atenção para o Artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro, que proíbe dirigir usando calçados que não se firmam nos pés, como as Havaianas, por exemplo, que não possuem tiras presas aos calcanhares. Nesse ponto, a propaganda dá uma dica bem clara: “Nas férias, quando você usa mais as suas Havaianas, tenha cuidado para não ser pego dirigindo com elas, senão você vai pagar multa e perder 04 pontos na sua carteira de habilitação”. Legal.

Mensagem homofóbica

Depois, quando um dos atores pergunta se dirigir de Havaianas é crime, o guarda responde: “Crime não, é infração.” Ou seja, uma regra que deixou de ser cumprida. Porém, na tentativa de instruir os rapazes do que seria um crime ele diz: “Crime é você namorar a Fernanda Vasconcellos e ir à praia com dois marmanjos”.

Engraçado? Nem um pouco.

homofóbica terapia de casal em salvador

Qualquer dicionário que consultarmos vai informar que crime é uma “violação muito grave de ordem moral, religiosa ou civil que deve ser punida pelas leis”. Segundo a propaganda da Havaianas, o rapaz que recebe a multa (penalidade), além da infração de trânsito, cometeu qual crime? “– Ir à praia com dois homens”.  Nesse ponto, a propaganda dá outra dica bem clara: “Se você sair para se divertir acompanhado por outro homem, você estará cometendo um crime e será punido pelas leis da moralidade, da religião ou da justiça”. E é nesse contexto que a propaganda peca passando essa mensagem homofóbica.

As Havaianas sempre trouxeram este tipo de propaganda com conotações humorísticas e isso leva muitas pessoas a repetir os comportamentos de um comercial no dia a dia. Imagine que na vida real alguns amigos resolvem ir à praia ou ao shopping e alguém influenciado pela propaganda diz: “Homens juntos! Que crime.” Lógico que alguém pode levar na esportiva ou não se ofender com essa atitude, mas outros podem inclusive evitar serem vistos acompanhados por outros homens para não serem taxados de criminosos ou apontados como infratores, imorais ou contraventores. Dessa forma, podemos entender que a propaganda pode incentivar comportamentos punitivos para situações que se assemelhem a relacionamentos homossexuais e isso não é uma infração, é crime!

Se gostou desse texto, poderá gostar também:

Homofobia e punição social
Homofobia e suas raízes

 

Dr. Elídio Almeida
Psicólogo | CRP 03/6773
(71) 98842-7744 Salvador – Bahia
elidioalmeida.com

Elídio Almeida
elidio@elidioalmeida.com

Psicólogo formado pela Universidade Federal da Bahia – Ufba, especialista em Terapia de Casal & Família, membro da Association for Behavior Analysis International (ABAI). Psicólogo clínico, faz atendimento individual, para casais e famílias. Oferece cursos de desenvolvimento pessoal, palestras, orientação vocacional e avaliação psicológica.

No Comments
  • Neto Alves
    Posted at 12:42h, 16 dezembro Responder

    Sou seu leitor assíduo. Posts muito interessantes. Dessa vez, porém, acho que “viu pelo em ovo”, isto é, exagerou. Nada de homofóbica a propaganda. Aquela do salgadinho sim, mas essa…

  • Neto Alves
    Posted at 12:42h, 16 dezembro Responder

    Sou seu leitor assíduo. Posts muito interessantes. Dessa vez, porém, acho que “viu pelo em ovo”, isto é, exagerou. Nada de homofóbica a propaganda. Aquela do salgadinho sim, mas essa…

  • Neto Alves
    Posted at 12:42h, 16 dezembro Responder

    Sou seu leitor assíduo. Posts muito interessantes. Dessa vez, porém, acho que “viu pelo em ovo”, isto é, exagerou. Nada de homofóbica a propaganda. Aquela do salgadinho sim, mas essa…

  • Elídio Almeida
    Posted at 13:13h, 16 dezembro Responder

    Olá Neto!

    Obrigado pelo comentário, por acompanhar o blog e participar das discussões. De fato este post sobre a propaganda de verão das havaianas é bastante polêmico, porém penso que atos de homofobia não se restringem as formas mais explícitas e foi isso que procurei mostrar no post. Por isso lancei o tema aqui no blog para que possamos discutir mais e os comentários sempre serão bem vindos.

  • Elídio Almeida
    Posted at 13:13h, 16 dezembro Responder

    Olá Neto!

    Obrigado pelo comentário, por acompanhar o blog e participar das discussões. De fato este post sobre a propaganda de verão das havaianas é bastante polêmico, porém penso que atos de homofobia não se restringem as formas mais explícitas e foi isso que procurei mostrar no post. Por isso lancei o tema aqui no blog para que possamos discutir mais e os comentários sempre serão bem vindos.

  • Elídio Almeida
    Posted at 13:13h, 16 dezembro Responder

    Olá Neto!

    Obrigado pelo comentário, por acompanhar o blog e participar das discussões. De fato este post sobre a propaganda de verão das havaianas é bastante polêmico, porém penso que atos de homofobia não se restringem as formas mais explícitas e foi isso que procurei mostrar no post. Por isso lancei o tema aqui no blog para que possamos discutir mais e os comentários sempre serão bem vindos.

  • Suilan
    Posted at 16:58h, 16 dezembro Responder

    Oi Elídio,

    Muito bacana o blog, parabéns!!
    Sobre o seu artigo eu tenho dois comentários:
    O primeiro é que notei que houve um equívoco. A namorada à qual um dos rapazes se refere como sendo um “canhão” é a do rapaz de camisa azul, mais à direita do vídeo e não Fernanda Vasconcelos. Da pra notar porque o rapaz, à esquerda, aponta diretamente para ele enquanto diz “a namorada dele…”.
    O outro comentário é que, assim como Neto, também não consegui identificar mensagens homofóbicas nesse comercial e confesso que o achei criativo e até instrutivo. Concordo que esse tipo de mensagem está muito presente nos meios de comunicação, de formas mais ou menos explícitas, especialmente em programas humorísticos. Existe muito preconceito e é preciso combatê-lo, mas acho importante não ficarmos tão defencivos a ponto de enxergar proconceito em tudo.

    Um abraço.

    • Elídio Almeida
      Posted at 20:26h, 16 dezembro Responder

      Olá Suilan,

      Vejo que tem razão, o termo “canhão” não é direcionado para o namorado da Fernanda e sim para o rapaz de camisa azul. Obrigado pelo comentário e pelas observações!

      Forte abraço.

  • Suilan
    Posted at 16:58h, 16 dezembro Responder

    Oi Elídio,

    Muito bacana o blog, parabéns!!
    Sobre o seu artigo eu tenho dois comentários:
    O primeiro é que notei que houve um equívoco. A namorada à qual um dos rapazes se refere como sendo um “canhão” é a do rapaz de camisa azul, mais à direita do vídeo e não Fernanda Vasconcelos. Da pra notar porque o rapaz, à esquerda, aponta diretamente para ele enquanto diz “a namorada dele…”.
    O outro comentário é que, assim como Neto, também não consegui identificar mensagens homofóbicas nesse comercial e confesso que o achei criativo e até instrutivo. Concordo que esse tipo de mensagem está muito presente nos meios de comunicação, de formas mais ou menos explícitas, especialmente em programas humorísticos. Existe muito preconceito e é preciso combatê-lo, mas acho importante não ficarmos tão defencivos a ponto de enxergar proconceito em tudo.

    Um abraço.

    • Elídio Almeida
      Posted at 20:26h, 16 dezembro Responder

      Olá Suilan,

      Vejo que tem razão, o termo “canhão” não é direcionado para o namorado da Fernanda e sim para o rapaz de camisa azul. Obrigado pelo comentário e pelas observações!

      Forte abraço.

  • Suilan
    Posted at 16:58h, 16 dezembro Responder

    Oi Elídio,

    Muito bacana o blog, parabéns!!
    Sobre o seu artigo eu tenho dois comentários:
    O primeiro é que notei que houve um equívoco. A namorada à qual um dos rapazes se refere como sendo um “canhão” é a do rapaz de camisa azul, mais à direita do vídeo e não Fernanda Vasconcelos. Da pra notar porque o rapaz, à esquerda, aponta diretamente para ele enquanto diz “a namorada dele…”.
    O outro comentário é que, assim como Neto, também não consegui identificar mensagens homofóbicas nesse comercial e confesso que o achei criativo e até instrutivo. Concordo que esse tipo de mensagem está muito presente nos meios de comunicação, de formas mais ou menos explícitas, especialmente em programas humorísticos. Existe muito preconceito e é preciso combatê-lo, mas acho importante não ficarmos tão defencivos a ponto de enxergar proconceito em tudo.

    Um abraço.

    • Elídio Almeida
      Posted at 20:26h, 16 dezembro Responder

      Olá Suilan,

      Vejo que tem razão, o termo “canhão” não é direcionado para o namorado da Fernanda e sim para o rapaz de camisa azul. Obrigado pelo comentário e pelas observações!

      Forte abraço.

  • Felipe Arapujo
    Posted at 18:11h, 17 dezembro Responder

    Cara, sempre acompanho seu blog e acho muito legal. Gostei desse texto das havaianas. Diferente dos outros que comentaram eu comecei a pensar que muitas formas de preconceito são passadas atraves de brincadeiras e de forma súltil aprendemos a ser preconceituosos. Porém acho que o outro texto que você comentou o comercial da doritos ficou mais claro. Não pare seu trabalho por causa das críticas!

    Abraços.

  • Felipe Arapujo
    Posted at 18:11h, 17 dezembro Responder

    Cara, sempre acompanho seu blog e acho muito legal. Gostei desse texto das havaianas. Diferente dos outros que comentaram eu comecei a pensar que muitas formas de preconceito são passadas atraves de brincadeiras e de forma súltil aprendemos a ser preconceituosos. Porém acho que o outro texto que você comentou o comercial da doritos ficou mais claro. Não pare seu trabalho por causa das críticas!

    Abraços.

  • Felipe Arapujo
    Posted at 18:11h, 17 dezembro Responder

    Cara, sempre acompanho seu blog e acho muito legal. Gostei desse texto das havaianas. Diferente dos outros que comentaram eu comecei a pensar que muitas formas de preconceito são passadas atraves de brincadeiras e de forma súltil aprendemos a ser preconceituosos. Porém acho que o outro texto que você comentou o comercial da doritos ficou mais claro. Não pare seu trabalho por causa das críticas!

    Abraços.

  • Hilda
    Posted at 22:17h, 18 dezembro Responder

    O COMERCIAL É VISIVELMENTE HOMOFÓBICO, ESSA EMPRESA NÃO SE CONSERTA MESMO, OU NÃO TEM PROFISSIONAL QUALIFICADO OU OS PROFISSIONAIS SÃO TODOS PRECONCEITUOSOS. VAMOS COMBINAR, HOMOFOBIA DEVIA SER TRATADO COMO CRIME

  • Hilda
    Posted at 22:17h, 18 dezembro Responder

    O COMERCIAL É VISIVELMENTE HOMOFÓBICO, ESSA EMPRESA NÃO SE CONSERTA MESMO, OU NÃO TEM PROFISSIONAL QUALIFICADO OU OS PROFISSIONAIS SÃO TODOS PRECONCEITUOSOS. VAMOS COMBINAR, HOMOFOBIA DEVIA SER TRATADO COMO CRIME

  • Hilda
    Posted at 22:17h, 18 dezembro Responder

    O COMERCIAL É VISIVELMENTE HOMOFÓBICO, ESSA EMPRESA NÃO SE CONSERTA MESMO, OU NÃO TEM PROFISSIONAL QUALIFICADO OU OS PROFISSIONAIS SÃO TODOS PRECONCEITUOSOS. VAMOS COMBINAR, HOMOFOBIA DEVIA SER TRATADO COMO CRIME

  • Camila
    Posted at 17:37h, 25 dezembro Responder

    Oi.
    Sua opinião é bastante polêmica, mas achei legal.

  • Camila
    Posted at 17:37h, 25 dezembro Responder

    Oi.
    Sua opinião é bastante polêmica, mas achei legal.

  • Camila
    Posted at 17:37h, 25 dezembro Responder

    Oi.
    Sua opinião é bastante polêmica, mas achei legal.

  • Patricia Sales
    Posted at 18:44h, 05 janeiro Responder

    No meu ponto de vista o guarda fala do crime de deixar a namorada, linda e desejada por outros homens em casa e sair com os amigos, marmanjos é usado como uma forma de mostrar o corriqueiro, que muitas vezes o homem deixa a mulher ou namorada em casa e sai para se divertir com os amigos. Infelizmente acho que o blog viajou na interpretação do comercial, em nenhum momento há qualquer piadinha insinuando que ele estava com os marmanjos “namorando” e sim se divertindo, falar que o comercial é homofóbico na minha opinião é pré-conceito. abraços

  • Patricia Sales
    Posted at 18:44h, 05 janeiro Responder

    No meu ponto de vista o guarda fala do crime de deixar a namorada, linda e desejada por outros homens em casa e sair com os amigos, marmanjos é usado como uma forma de mostrar o corriqueiro, que muitas vezes o homem deixa a mulher ou namorada em casa e sai para se divertir com os amigos. Infelizmente acho que o blog viajou na interpretação do comercial, em nenhum momento há qualquer piadinha insinuando que ele estava com os marmanjos “namorando” e sim se divertindo, falar que o comercial é homofóbico na minha opinião é pré-conceito. abraços

  • Patricia Sales
    Posted at 18:44h, 05 janeiro Responder

    No meu ponto de vista o guarda fala do crime de deixar a namorada, linda e desejada por outros homens em casa e sair com os amigos, marmanjos é usado como uma forma de mostrar o corriqueiro, que muitas vezes o homem deixa a mulher ou namorada em casa e sai para se divertir com os amigos. Infelizmente acho que o blog viajou na interpretação do comercial, em nenhum momento há qualquer piadinha insinuando que ele estava com os marmanjos “namorando” e sim se divertindo, falar que o comercial é homofóbico na minha opinião é pré-conceito. abraços

  • vinicius
    Posted at 13:34h, 16 fevereiro Responder

    Elido como fico alegre pelo fato de ver pessoas como voce combatendo a homofobia, gracas a deus sou gay, e o mundo esta infestado de comerciais e brincadeirinhas tidas como normal mas que na verdade entra no inconsciente da juventude e os transformam em pessoas estupidas e preconceituosas. A todos meus colegas vamos combater a homofobia levada, ou seja, aquela homofobia sutil que é prejudicial tanto quanto. flw

  • vinicius
    Posted at 13:34h, 16 fevereiro Responder

    Elido como fico alegre pelo fato de ver pessoas como voce combatendo a homofobia, gracas a deus sou gay, e o mundo esta infestado de comerciais e brincadeirinhas tidas como normal mas que na verdade entra no inconsciente da juventude e os transformam em pessoas estupidas e preconceituosas. A todos meus colegas vamos combater a homofobia levada, ou seja, aquela homofobia sutil que é prejudicial tanto quanto. flw

  • vinicius
    Posted at 13:34h, 16 fevereiro Responder

    Elido como fico alegre pelo fato de ver pessoas como voce combatendo a homofobia, gracas a deus sou gay, e o mundo esta infestado de comerciais e brincadeirinhas tidas como normal mas que na verdade entra no inconsciente da juventude e os transformam em pessoas estupidas e preconceituosas. A todos meus colegas vamos combater a homofobia levada, ou seja, aquela homofobia sutil que é prejudicial tanto quanto. flw

  • junior
    Posted at 20:20h, 09 março Responder

    ah cara deixa de ser ridiculo, para de colocar mordaça gay em tudo!

    foi só um piada, uma brincadeira que num teve nenhum tom homofóbico, até pq os gays concordariam que a fernanda vasconceloas é bem mais bela que os dois caras com quem o henri castelli estava e esse foi o tom da brincadeira.

    alguns homossexuais veem em tudo preconceito! querem ser acima de bem e de mal a ponto de não poder sofrer uma brincadeira ou uma critica!

    o senhor dono desse blog idiota vai se catar, preconceituoso é vossa senhoria a partir do momento em que leva a serio uma brincadeira totalmente malicia que por sinal o senhor tentou colocar!

    alianado e bitolado são as definições pra vossa senhoria e quem pensar igual!
    perdi minutos de minha existencia lendo uma asneira dessas ! mas as pessoas precisam ouvir algumas verdades!

    • Elídio Almeida
      Posted at 21:01h, 09 março Responder

      Olá Júnior, boa noite!

      Obrigado pelo comentário. Aqui é um espaço democrático onde todas as opiniões são bem vindas, inclusive as contrárias e não fundamentadas. O texto não tem por objetivo colocar nenhum tipo de “mordaça”, ao contrário. Talvez o que você não saiba é que a maioria dos comportamentos preconceituosos em nossa sociedade acontecem por intermédio de brincadeiras sutis e que, ao poucos, causam grandes estragos na vida das pessoas, muito mais do que palavras diretas e taxativas. Lamento que considere o tempo que dedicou à leitura em vão, mas penso que a verdade se constrói a partir de opiniões diversas e análise de várias perspectivas. Como disse no início, obrigado pelo comentário, e estarei ao seu dispor para dialogarmos mais sobre o tema se desejar.

      Elídio Almeida
      Psicólogo CRP 03/6773

  • junior
    Posted at 20:20h, 09 março Responder

    ah cara deixa de ser ridiculo, para de colocar mordaça gay em tudo!

    foi só um piada, uma brincadeira que num teve nenhum tom homofóbico, até pq os gays concordariam que a fernanda vasconceloas é bem mais bela que os dois caras com quem o henri castelli estava e esse foi o tom da brincadeira.

    alguns homossexuais veem em tudo preconceito! querem ser acima de bem e de mal a ponto de não poder sofrer uma brincadeira ou uma critica!

    o senhor dono desse blog idiota vai se catar, preconceituoso é vossa senhoria a partir do momento em que leva a serio uma brincadeira totalmente malicia que por sinal o senhor tentou colocar!

    alianado e bitolado são as definições pra vossa senhoria e quem pensar igual!
    perdi minutos de minha existencia lendo uma asneira dessas ! mas as pessoas precisam ouvir algumas verdades!

    • Elídio Almeida
      Posted at 21:01h, 09 março Responder

      Olá Júnior, boa noite!

      Obrigado pelo comentário. Aqui é um espaço democrático onde todas as opiniões são bem vindas, inclusive as contrárias e não fundamentadas. O texto não tem por objetivo colocar nenhum tipo de “mordaça”, ao contrário. Talvez o que você não saiba é que a maioria dos comportamentos preconceituosos em nossa sociedade acontecem por intermédio de brincadeiras sutis e que, ao poucos, causam grandes estragos na vida das pessoas, muito mais do que palavras diretas e taxativas. Lamento que considere o tempo que dedicou à leitura em vão, mas penso que a verdade se constrói a partir de opiniões diversas e análise de várias perspectivas. Como disse no início, obrigado pelo comentário, e estarei ao seu dispor para dialogarmos mais sobre o tema se desejar.

      Elídio Almeida
      Psicólogo CRP 03/6773

  • junior
    Posted at 20:20h, 09 março Responder

    ah cara deixa de ser ridiculo, para de colocar mordaça gay em tudo!

    foi só um piada, uma brincadeira que num teve nenhum tom homofóbico, até pq os gays concordariam que a fernanda vasconceloas é bem mais bela que os dois caras com quem o henri castelli estava e esse foi o tom da brincadeira.

    alguns homossexuais veem em tudo preconceito! querem ser acima de bem e de mal a ponto de não poder sofrer uma brincadeira ou uma critica!

    o senhor dono desse blog idiota vai se catar, preconceituoso é vossa senhoria a partir do momento em que leva a serio uma brincadeira totalmente malicia que por sinal o senhor tentou colocar!

    alianado e bitolado são as definições pra vossa senhoria e quem pensar igual!
    perdi minutos de minha existencia lendo uma asneira dessas ! mas as pessoas precisam ouvir algumas verdades!

    • Elídio Almeida
      Posted at 21:01h, 09 março Responder

      Olá Júnior, boa noite!

      Obrigado pelo comentário. Aqui é um espaço democrático onde todas as opiniões são bem vindas, inclusive as contrárias e não fundamentadas. O texto não tem por objetivo colocar nenhum tipo de “mordaça”, ao contrário. Talvez o que você não saiba é que a maioria dos comportamentos preconceituosos em nossa sociedade acontecem por intermédio de brincadeiras sutis e que, ao poucos, causam grandes estragos na vida das pessoas, muito mais do que palavras diretas e taxativas. Lamento que considere o tempo que dedicou à leitura em vão, mas penso que a verdade se constrói a partir de opiniões diversas e análise de várias perspectivas. Como disse no início, obrigado pelo comentário, e estarei ao seu dispor para dialogarmos mais sobre o tema se desejar.

      Elídio Almeida
      Psicólogo CRP 03/6773

  • Hoje é dia de Festa!!! « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 02:05h, 13 abril Responder

    […] post mais visitado é o da Propaganda das Havaianas, seguido do post sobre a Mudança dos […]

  • Hoje é dia de Festa!!! « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 02:05h, 13 abril Responder

    […] post mais visitado é o da Propaganda das Havaianas, seguido do post sobre a Mudança dos […]

  • Hoje é dia de Festa!!! « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 02:05h, 13 abril Responder

    […] post mais visitado é o da Propaganda das Havaianas, seguido do post sobre a Mudança dos […]

  • Cristina Carvalho
    Posted at 14:58h, 18 abril Responder

    Essa empresa deveria contratar outros publicitários. Ontem vi na TV um comercial da havaianas que me deixou chocada. Preconceituoso, retrata a mulhr brasileira como objeto, como ser promíscuo. Como se no Brasil só existissem peitos, bundas e carnaval. Registrei uma reclamação no Conar, e sugiro que todos façam o mesmo.

    • Elídio Almeida
      Posted at 15:21h, 18 abril Responder

      Olá Cristina!

      Também vi a propaganda. Além de preconceituosa, ela tenta fazer um pareamento de estímulos entre alegria, carnaval, lugares exuberantes e outros ícones do Brasil com as Havaianas. O que me deixa preocupado é que muitas pessoas riem e acham legal ver tantas outras qualidades de um país e seu povo resumidas em características isoladas e estereotipadas que não condizem com a realidade de todos.

  • Cristina Carvalho
    Posted at 14:58h, 18 abril Responder

    Essa empresa deveria contratar outros publicitários. Ontem vi na TV um comercial da havaianas que me deixou chocada. Preconceituoso, retrata a mulhr brasileira como objeto, como ser promíscuo. Como se no Brasil só existissem peitos, bundas e carnaval. Registrei uma reclamação no Conar, e sugiro que todos façam o mesmo.

    • Elídio Almeida
      Posted at 15:21h, 18 abril Responder

      Olá Cristina!

      Também vi a propaganda. Além de preconceituosa, ela tenta fazer um pareamento de estímulos entre alegria, carnaval, lugares exuberantes e outros ícones do Brasil com as Havaianas. O que me deixa preocupado é que muitas pessoas riem e acham legal ver tantas outras qualidades de um país e seu povo resumidas em características isoladas e estereotipadas que não condizem com a realidade de todos.

  • Cristina Carvalho
    Posted at 14:58h, 18 abril Responder

    Essa empresa deveria contratar outros publicitários. Ontem vi na TV um comercial da havaianas que me deixou chocada. Preconceituoso, retrata a mulhr brasileira como objeto, como ser promíscuo. Como se no Brasil só existissem peitos, bundas e carnaval. Registrei uma reclamação no Conar, e sugiro que todos façam o mesmo.

    • Elídio Almeida
      Posted at 15:21h, 18 abril Responder

      Olá Cristina!

      Também vi a propaganda. Além de preconceituosa, ela tenta fazer um pareamento de estímulos entre alegria, carnaval, lugares exuberantes e outros ícones do Brasil com as Havaianas. O que me deixa preocupado é que muitas pessoas riem e acham legal ver tantas outras qualidades de um país e seu povo resumidas em características isoladas e estereotipadas que não condizem com a realidade de todos.

  • Ivan Brafman
    Posted at 17:04h, 14 maio Responder

    Olá Elídio
    Olha, eu aqui de novo.
    Quero te dizer que assíti várias vezes este comercial nas emissoras de Televisão e agora estou lendo por várias vezes este seu artigo e confesso que não consegui vislumbrar conteúdo homofóbico no mesmo.
    Achei,sim, um tom irônico sem conotação preconceituosa.Apenas tentando fazer uma provocação em forma de observação/comparativa. Quando o publicitário diz na sua alusão textual: “crime é namorar a Fernanda Vasconcelos e ir à praia com dois marmanjos”, neste momento, o sentido da mensagem prende-se ao fato de que a atriz citada é mais bonita do que os rapazes. Segundo a òtica do marqueteiro.
    Eu e milhões de pessoas consideramos muito normal e natural que um grupo de homens ou mulheres possam ir à praia juntos. Qual é o problema? Não importa se alguns deles sejam heterosexuais, outros homossexuais e os demais bissexuais.
    O lamentável mesmo é a mediocridade na hora de se criar esta propaganda, pois foi muito ruim: não tem nada haver, praia, com guarda de trânsito, comparar beleza de uma mulher com a presença de um grupo de amigos na praia, depois, também, se falar em crime e infração. Quanta bobagem! Quanta falta de criatividade!Tudo isso, para se divulgar a marca de uma sandália já tão conhecida. Uma porcaria de um marketing sem dimensões.
    Trata-se de um emaranhado de besteiras. Ao meu sentir sem teor homofóbico.Um abraço. Ivan

    • Elídio Almeida
      Posted at 21:14h, 14 maio Responder

      Olá Ivan, sempre bom ter suas opiniões aqui. Sem dúvida este é um dos posts mais polêmicos que já escrevi. Se você reparar nos comentários anteriores verá alguns que concordam e outros que não, ainda assim não consegui pensar diferente. Acho que a polêmica toda gira em torno das informações implícitas nas mensagens e cada um interpreta de uma maneira. Pensei um pouco sobre o argumento que você traz e mesmo assim não consegui visualizar a comparação entre “belezas” e sim entre gênero.
      Também acho que eles carregaram este comercial com muita informação mesmo. A questão é que ele fez tanto sucesso que cumpriu o seu tempo inicial e depois ainda voltou ao ar por um bom tempo em função do grande sucesso que fez entre a nação brasileira. Forte abraço.

  • Ivan Brafman
    Posted at 17:04h, 14 maio Responder

    Olá Elídio
    Olha, eu aqui de novo.
    Quero te dizer que assíti várias vezes este comercial nas emissoras de Televisão e agora estou lendo por várias vezes este seu artigo e confesso que não consegui vislumbrar conteúdo homofóbico no mesmo.
    Achei,sim, um tom irônico sem conotação preconceituosa.Apenas tentando fazer uma provocação em forma de observação/comparativa. Quando o publicitário diz na sua alusão textual: “crime é namorar a Fernanda Vasconcelos e ir à praia com dois marmanjos”, neste momento, o sentido da mensagem prende-se ao fato de que a atriz citada é mais bonita do que os rapazes. Segundo a òtica do marqueteiro.
    Eu e milhões de pessoas consideramos muito normal e natural que um grupo de homens ou mulheres possam ir à praia juntos. Qual é o problema? Não importa se alguns deles sejam heterosexuais, outros homossexuais e os demais bissexuais.
    O lamentável mesmo é a mediocridade na hora de se criar esta propaganda, pois foi muito ruim: não tem nada haver, praia, com guarda de trânsito, comparar beleza de uma mulher com a presença de um grupo de amigos na praia, depois, também, se falar em crime e infração. Quanta bobagem! Quanta falta de criatividade!Tudo isso, para se divulgar a marca de uma sandália já tão conhecida. Uma porcaria de um marketing sem dimensões.
    Trata-se de um emaranhado de besteiras. Ao meu sentir sem teor homofóbico.Um abraço. Ivan

    • Elídio Almeida
      Posted at 21:14h, 14 maio Responder

      Olá Ivan, sempre bom ter suas opiniões aqui. Sem dúvida este é um dos posts mais polêmicos que já escrevi. Se você reparar nos comentários anteriores verá alguns que concordam e outros que não, ainda assim não consegui pensar diferente. Acho que a polêmica toda gira em torno das informações implícitas nas mensagens e cada um interpreta de uma maneira. Pensei um pouco sobre o argumento que você traz e mesmo assim não consegui visualizar a comparação entre “belezas” e sim entre gênero.
      Também acho que eles carregaram este comercial com muita informação mesmo. A questão é que ele fez tanto sucesso que cumpriu o seu tempo inicial e depois ainda voltou ao ar por um bom tempo em função do grande sucesso que fez entre a nação brasileira. Forte abraço.

  • Ivan Brafman
    Posted at 17:04h, 14 maio Responder

    Olá Elídio
    Olha, eu aqui de novo.
    Quero te dizer que assíti várias vezes este comercial nas emissoras de Televisão e agora estou lendo por várias vezes este seu artigo e confesso que não consegui vislumbrar conteúdo homofóbico no mesmo.
    Achei,sim, um tom irônico sem conotação preconceituosa.Apenas tentando fazer uma provocação em forma de observação/comparativa. Quando o publicitário diz na sua alusão textual: “crime é namorar a Fernanda Vasconcelos e ir à praia com dois marmanjos”, neste momento, o sentido da mensagem prende-se ao fato de que a atriz citada é mais bonita do que os rapazes. Segundo a òtica do marqueteiro.
    Eu e milhões de pessoas consideramos muito normal e natural que um grupo de homens ou mulheres possam ir à praia juntos. Qual é o problema? Não importa se alguns deles sejam heterosexuais, outros homossexuais e os demais bissexuais.
    O lamentável mesmo é a mediocridade na hora de se criar esta propaganda, pois foi muito ruim: não tem nada haver, praia, com guarda de trânsito, comparar beleza de uma mulher com a presença de um grupo de amigos na praia, depois, também, se falar em crime e infração. Quanta bobagem! Quanta falta de criatividade!Tudo isso, para se divulgar a marca de uma sandália já tão conhecida. Uma porcaria de um marketing sem dimensões.
    Trata-se de um emaranhado de besteiras. Ao meu sentir sem teor homofóbico.Um abraço. Ivan

    • Elídio Almeida
      Posted at 21:14h, 14 maio Responder

      Olá Ivan, sempre bom ter suas opiniões aqui. Sem dúvida este é um dos posts mais polêmicos que já escrevi. Se você reparar nos comentários anteriores verá alguns que concordam e outros que não, ainda assim não consegui pensar diferente. Acho que a polêmica toda gira em torno das informações implícitas nas mensagens e cada um interpreta de uma maneira. Pensei um pouco sobre o argumento que você traz e mesmo assim não consegui visualizar a comparação entre “belezas” e sim entre gênero.
      Também acho que eles carregaram este comercial com muita informação mesmo. A questão é que ele fez tanto sucesso que cumpriu o seu tempo inicial e depois ainda voltou ao ar por um bom tempo em função do grande sucesso que fez entre a nação brasileira. Forte abraço.

  • Dene S de Almeida
    Posted at 13:26h, 30 novembro Responder

    Dr., não gosto da abrangência do termo homofobia. Entendo homo (mesmo) como um prefixo ao termo homossexual, e, fobia, que se refere à medo ou violenta aversão. Eu, por exemplo, as vezes tenho sido taxado por não apoiar a homossexualidade, repito: “apoiar”. O fato de eu não dar sustentação ou não concordar, não significa que eu desrespeite a opção sexual seja ela de quem seja… respeito os homossexuais como ser humano, como irmãos, contudo não acredito que eu tenha que deixar de imprimir minhas opiniões contrarias ou favoráveis aos que preferem ao mesmo sexo em detrimento ao contrario.
    Com base neste argumento, acredito, inclusive, que a lei da homofobia é desnecessária e redundante, uma vez que o homossexual é um ser humano antes de qualquer coisa, e que toda a lei aplicada ao cidadão é suficiente para guarnecer a integridade moral e física destes… Com isto, também entendo que não há agressividade nesta campanha publicitária, contudo, gostaria de ouvir sua opinião quanto ao meu comentário. Sds.

    • Elídio Almeida
      Posted at 08:37h, 12 dezembro Responder

      Olá Dene!

      Obrigado pelo comentário e perdão pela demora em responder. Compreendo seus argumentos, contudo penso de forma contrária em relação ao que diz sobre as leis para reconhecer os direitos dos homossexuais. Talvez se pensarmos que nossa sociedade avançou muitos após criar leis básicas como o Estatuto da Criança e do Adolescente, o Estatuto do Idoso, a CLT e tantos outros instrumentos que visam proteger as minorias, podemos assim supor que que uma lei específica para os homossexuais possa ser útil para fazer valer direitos tão básicos e reconhecer direitos fundamentais a estas pessoas. Que tal pensarmos um pouco mais sobre isso? Quanto ao comercial das havaianas ainda sustento a minha opinião dada no texto e tivemos um discussão bem legal nos comentários do post, neles acrescentamos novos argumentos, peço que dê uma olhada e veja se sua pergunta já foi contemplada por algum leitor. Forte abraço e mantenha contato.

  • Dene S de Almeida
    Posted at 13:26h, 30 novembro Responder

    Dr., não gosto da abrangência do termo homofobia. Entendo homo (mesmo) como um prefixo ao termo homossexual, e, fobia, que se refere à medo ou violenta aversão. Eu, por exemplo, as vezes tenho sido taxado por não apoiar a homossexualidade, repito: “apoiar”. O fato de eu não dar sustentação ou não concordar, não significa que eu desrespeite a opção sexual seja ela de quem seja… respeito os homossexuais como ser humano, como irmãos, contudo não acredito que eu tenha que deixar de imprimir minhas opiniões contrarias ou favoráveis aos que preferem ao mesmo sexo em detrimento ao contrario.
    Com base neste argumento, acredito, inclusive, que a lei da homofobia é desnecessária e redundante, uma vez que o homossexual é um ser humano antes de qualquer coisa, e que toda a lei aplicada ao cidadão é suficiente para guarnecer a integridade moral e física destes… Com isto, também entendo que não há agressividade nesta campanha publicitária, contudo, gostaria de ouvir sua opinião quanto ao meu comentário. Sds.

    • Elídio Almeida
      Posted at 08:37h, 12 dezembro Responder

      Olá Dene!

      Obrigado pelo comentário e perdão pela demora em responder. Compreendo seus argumentos, contudo penso de forma contrária em relação ao que diz sobre as leis para reconhecer os direitos dos homossexuais. Talvez se pensarmos que nossa sociedade avançou muitos após criar leis básicas como o Estatuto da Criança e do Adolescente, o Estatuto do Idoso, a CLT e tantos outros instrumentos que visam proteger as minorias, podemos assim supor que que uma lei específica para os homossexuais possa ser útil para fazer valer direitos tão básicos e reconhecer direitos fundamentais a estas pessoas. Que tal pensarmos um pouco mais sobre isso? Quanto ao comercial das havaianas ainda sustento a minha opinião dada no texto e tivemos um discussão bem legal nos comentários do post, neles acrescentamos novos argumentos, peço que dê uma olhada e veja se sua pergunta já foi contemplada por algum leitor. Forte abraço e mantenha contato.

  • Dene S de Almeida
    Posted at 13:26h, 30 novembro Responder

    Dr., não gosto da abrangência do termo homofobia. Entendo homo (mesmo) como um prefixo ao termo homossexual, e, fobia, que se refere à medo ou violenta aversão. Eu, por exemplo, as vezes tenho sido taxado por não apoiar a homossexualidade, repito: “apoiar”. O fato de eu não dar sustentação ou não concordar, não significa que eu desrespeite a opção sexual seja ela de quem seja… respeito os homossexuais como ser humano, como irmãos, contudo não acredito que eu tenha que deixar de imprimir minhas opiniões contrarias ou favoráveis aos que preferem ao mesmo sexo em detrimento ao contrario.
    Com base neste argumento, acredito, inclusive, que a lei da homofobia é desnecessária e redundante, uma vez que o homossexual é um ser humano antes de qualquer coisa, e que toda a lei aplicada ao cidadão é suficiente para guarnecer a integridade moral e física destes… Com isto, também entendo que não há agressividade nesta campanha publicitária, contudo, gostaria de ouvir sua opinião quanto ao meu comentário. Sds.

    • Elídio Almeida
      Posted at 08:37h, 12 dezembro Responder

      Olá Dene!

      Obrigado pelo comentário e perdão pela demora em responder. Compreendo seus argumentos, contudo penso de forma contrária em relação ao que diz sobre as leis para reconhecer os direitos dos homossexuais. Talvez se pensarmos que nossa sociedade avançou muitos após criar leis básicas como o Estatuto da Criança e do Adolescente, o Estatuto do Idoso, a CLT e tantos outros instrumentos que visam proteger as minorias, podemos assim supor que que uma lei específica para os homossexuais possa ser útil para fazer valer direitos tão básicos e reconhecer direitos fundamentais a estas pessoas. Que tal pensarmos um pouco mais sobre isso? Quanto ao comercial das havaianas ainda sustento a minha opinião dada no texto e tivemos um discussão bem legal nos comentários do post, neles acrescentamos novos argumentos, peço que dê uma olhada e veja se sua pergunta já foi contemplada por algum leitor. Forte abraço e mantenha contato.

  • Nilcema
    Posted at 04:00h, 03 fevereiro Responder

    Estava tentando deixar uma mensagem, ou melhor, meu protesto, à propaganda das sandálias havaianas acabei lendo seu texto de 2010, sobre o mesmo tema. A atual propaganda refere-se a venda ao turista como uma enganação, eu trabalho com vendas em feira, e nunca tratei meu cliente, seja estrangeiro ou não sem o respeito que todos merecem.
    Pronto, desabafei…

  • Nilcema
    Posted at 04:00h, 03 fevereiro Responder

    Estava tentando deixar uma mensagem, ou melhor, meu protesto, à propaganda das sandálias havaianas acabei lendo seu texto de 2010, sobre o mesmo tema. A atual propaganda refere-se a venda ao turista como uma enganação, eu trabalho com vendas em feira, e nunca tratei meu cliente, seja estrangeiro ou não sem o respeito que todos merecem.
    Pronto, desabafei…

  • Nilcema
    Posted at 04:00h, 03 fevereiro Responder

    Estava tentando deixar uma mensagem, ou melhor, meu protesto, à propaganda das sandálias havaianas acabei lendo seu texto de 2010, sobre o mesmo tema. A atual propaganda refere-se a venda ao turista como uma enganação, eu trabalho com vendas em feira, e nunca tratei meu cliente, seja estrangeiro ou não sem o respeito que todos merecem.
    Pronto, desabafei…

  • igor caula
    Posted at 12:13h, 29 março Responder

    Caramba vcs conseguem ver maldade em tudo, sera que a maldade não esta dentro de vcs….

  • igor caula
    Posted at 12:13h, 29 março Responder

    Caramba vcs conseguem ver maldade em tudo, sera que a maldade não esta dentro de vcs….

  • igor caula
    Posted at 12:13h, 29 março Responder

    Caramba vcs conseguem ver maldade em tudo, sera que a maldade não esta dentro de vcs….

Deixe uma resposta