bullying-tratamento-psicológico

Bullying – Brincadeira sem limites

Semana passada assisti a um filme muito interessante chamado Bullying (2009), do diretor espanhol Josecho San Mateo, que me estimulou a escrever este post.  No filme, ao narrar a história de um garoto que sofria agressões de seus colegas de escola, o diretor acaba abordando um tema muito relevante para os dias atuais: o bullying. Este termo inglês é utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica praticados por uma pessoa ou grupos, com o objetivo de intimidar ou agredir outras pessoas ou grupos minoritários incapazes de se defender.

bullying tratamento psicológico

Atualmente, sem dúvida, uma das maiores preocupações da Psicologia e dos educadores é o bullying. Hoje, considerado como um problema mundial, o bullying pode acontecer em praticamente qualquer contexto no qual as pessoas interajam, tais como escola, faculdade, família, trabalho, entre vizinhos e amigos. São características do bullying os apelidos pejorativos criados para humilhar e que costumeiramente estão relacionados a aspectos étnicos, à orientação sexual, à formação familiar, à deficiências físicas ou à condição social e financeira de alguém, visando atingir qualquer ponto que não seja aceito, compreendido ou considerado normal pelo agressor.

As pessoas que testemunham o bullying também convivem com a violência e, muitas vezes, se silenciam em razão de temerem se tornar as próximas vítimas do agressor. As crianças ou adolescentes que sofrem bullying podem se tornar adultos com sentimentos negativos e baixa autoestima. Tendem a adquirir sérios problemas de relacionamento, podendo, inclusive, tornar-se agressivas. Em casos extremos a vítima pode até tentar cometer suicídio.

bullying nas escolas

Os autores das agressões geralmente são pessoas com um baixo nível de empatia, pertencentes à famílias e grupos com comportamentos agressivos, nas quais o relacionamento afetivo entre seus membros tende a ser escasso ou precário. Estes indivíduos acabam encontrando no ato de humilhar alguém uma maneira de se tornarem populares, reconhecidos ou aceitos em seus grupos. Por outro lado, o alvo dos agressores geralmente são pessoas pouco sociáveis, pouco reativas à ações que lhes são prejudiciais e muito inseguras, fato este que lhes impede de solicitar ajuda.

Os atos de bullying ferem princípios constitucionais – como, por exemplo, o respeito à dignidade da pessoa humana – e também o Código Civil, o qual determina que todo ato ilícito e danoso a outrem é passível de condenação. Escolas e empresas também podem ser responsabilizadas pela prática do bullying em suas dependências, podendo ser enquadradas no Código de Defesa do Consumidor ou naas Leis Trabalhistas, pois devem garantir o bem estar e integridade dos seus alunos, frequentadores, usuários, clientes e funcionários.

Cyberbullying

Atualmente, infelizmente, estão sendo criadas novas formas de humilhação. Além do bullying tradicional que envolve humilhação e agressão física, hoje em dia temos o chamado cyberbullying, que é a prática de humilhar e expor publicamente, de maneira caluniosa e difamatória, alguém por meio da internet. Essa é uma forma mais agressiva do que o bullying tradicional, já que calúnias e difamações pela internet possuem um alcance muito mais amplo, além do fato do agressor poder se ocultar atrás do anonimato digital. O agressor já não precisa ser uma pessoa forte ou popular, pois hoje pode ser qualquer um, inclusive vítimas em busca de vingança. Um exemplo disso são os perfis falsos que povoam as redes sociais.

Segundo a Delegacia de Crimes Virtuais a criação de perfis falsos é uma das práticas mais comuns de cyberbullying. Cria-se um perfil falso da vítima com informações reais, como telefone, endereço e fotos, e os associa a comunidades e grupos virtuais que podem resultar em algum constrangimento para a pessoa. Como, por exemplo, disponibilizar os dados de uma moça que não é acompanhante em um site de garotas de programa, realizar fotomontagens vexatórias, divulgar fotos ou vídeos íntimos ou vincular alguém a um grupo de pedofilia.

tratamento trauma bullying psicólogo em salvador

Bullying: Mudar de escola resolve?

Há uma crença de que mudar de escola ou mudar de cidade fará com que a pessoa deixe de ser vítima. Infelizmente isto pode não funcionar, pois o padrão comportamental desta pessoa a torna suscetível a ser atacada em qualquer lugar. O que precisa ser mudado é o padrão comportamental que predispõe uma pessoa a ser vítima. Em relação a isto o atendimento psicológico de Orientação Comportamental é muito importante, pois tenta desenvolver junto aos indivíduos novos repertórios comportamentais que podem auxiliar-lhes a enfrentar situações de bullying.

A vítima necessita ser orientada.  Isto inclui ir à delegacia ou então, caso seja preciso. procurar atendimento jurídico, psicológico e médico. O bullying deve ser sempre combatido e jamais tolerado em escolas ou em qualquer outro local. É importante ressaltar que o agressor não é apenas o praticante de bullying. Na verdade, os espectadores que não se indignam e/ou que riem da vítima também são agressores e acabam, devido a sua passividade ou à conivência, reforçando esse comportamento.

Este é um problema muito sério e que afeta muitas vidas. Talvez, se as pessoas entendessem que o bullying não é uma bobagem ou uma brincadeira de mau gosto, como muitos pregam, e sim uma agressão psicológica e, muitas vezes, física, a sua ocorrência provavelmente seria muito menor.

As marcas resultantes do bullying são muito fortes e, infelizmente, na maioria das vezes, mudam permanentemente a vida das vítimas. As marcas mais comuns são: depressão, baixa autoestima, dificuldade de aprendizagem, problemas para relacionar-se afetivamente e socialmente, ansiedade e agressividade direcionada  a si mesmas e a outras pessoas.

É importante ressaltar que o atendimento psicológico oferece resultados promissores em relação a todas essas cicatrizes emocionais e comportamentais, principalmente as terapias de abordagem comportamental. Claro que não se pode mudar o passado, mas com o atendimento psicológico podemos realizar uma espécie de “controle de danos” e, com isso, aprender  a lidar com os problemas decorrentes antes destes se agravarem.

 

Dr. Elídio Almeida
Psicólogo | CRP 03/6773
(71) 98842-7744 Salvador – Bahia
elidioalmeida.com

Elídio Almeida
elidio@elidioalmeida.com

Psicólogo formado pela Universidade Federal da Bahia – Ufba, especialista em Terapia de Casal & Família, membro da Association for Behavior Analysis International (ABAI). Psicólogo clínico, faz atendimento individual, para casais e famílias. Oferece cursos de desenvolvimento pessoal, palestras, orientação vocacional e avaliação psicológica.

No Comments
  • Karoline Laís de Castro
    Posted at 16:47h, 16 setembro Responder

    Eu acho muito bom o que você falou sobre o Bullying. Eu estou no 2ºano do ensino médio e estou fazendo um trabalho sobre o Bullying e o que você escreveu me ajudou muito! =)

    Karoline Castro

    • Gabriel
      Posted at 14:54h, 13 outubro Responder

      Eu tbm estou fazendo um trabalho sobre isso e me ajudou muito
      Vlw.

      Gabriel

      • Sara
        Posted at 19:00h, 07 Fevereiro Responder

        oi , eu me chamo sara e sofro de bullying desde pequena. Quando eu estava na 1ª série , já passava por isso, mas eu nem sabia que sofria disso, e além disso, eu nunca contava nada pros meus pais. Então, os anos iam se passando e eu sempre era rejeitada na escola pela minha aparência física. Eu não era bonita como as pessoas achavam, era muito feinha, e por isso não tinha muitos amigos. As pessoas zombavam de mim e etc.. , até o ano passado isso ocorria. Até que um dia no ano passado, no mês de Julho, aconteceu uma coisa ai comigo e as aulas iriam voltar, e eu disse pros meus pais que eu iria parar de estudar, então, meu pai não deixou, claro! . E então chegou o dia das aulas, e eu não fui no 1º dia, e meu pai achou aquilo muito esquisito, e me perguntou se era alguém que estava mexendo comigo, e eu sempre dizia que não , que não era nada. Resumindo tudo, meu pai foi na escola e descobriu que eu sofria de bullying, desde então a diretora da escola fez uma palestra sobre esse assunto, e agora eu sei do que que eu passava. Mas, apesar dessa palestra, eu ainda passo por bullying, algumas pessoas zombam de mim, mas eu tento ser forte, mas não dá!. E eu só queria mesmo contar um pouquinho da minha história com o bullying!

        abraços :*

        • Elídio Almeida
          Posted at 21:46h, 07 Fevereiro Responder

          Olá Sara!
          Obrigado por ter compartilhado sua história conosco. Bullying é um assunto muito sério e é justamente na escola onde ele mais acontece. Posso imaginar o quanto você sofreu ao longo de todos esses anos e o quanto ainda sofre sendo vítima de bullying. Realmente é uma situação delicada, onde mesmo sofrendo e sendo humilhado, muitas vezes não conseguimos falar ou pedir ajuda aos pais, professores e amigos. Agir assim faz com que as pessoas que praticam o bullying se sintam cada vez mais fortalecidas. Por isso, devemos sempre buscar apoio das pessoas que confiamos para enfrentar os agressores. Sentindo-se apoiada e mais confiante, aos poucos você perceberá mudanças e melhoras. Lembre-se: reúna forças e busque ajuda!

  • Karoline Laís de Castro
    Posted at 16:47h, 16 setembro Responder

    Eu acho muito bom o que você falou sobre o Bullying. Eu estou no 2ºano do ensino médio e estou fazendo um trabalho sobre o Bullying e o que você escreveu me ajudou muito! =)

    Karoline Castro

    • Gabriel
      Posted at 14:54h, 13 outubro Responder

      Eu tbm estou fazendo um trabalho sobre isso e me ajudou muito
      Vlw.

      Gabriel

      • Sara
        Posted at 19:00h, 07 Fevereiro Responder

        oi , eu me chamo sara e sofro de bullying desde pequena. Quando eu estava na 1ª série , já passava por isso, mas eu nem sabia que sofria disso, e além disso, eu nunca contava nada pros meus pais. Então, os anos iam se passando e eu sempre era rejeitada na escola pela minha aparência física. Eu não era bonita como as pessoas achavam, era muito feinha, e por isso não tinha muitos amigos. As pessoas zombavam de mim e etc.. , até o ano passado isso ocorria. Até que um dia no ano passado, no mês de Julho, aconteceu uma coisa ai comigo e as aulas iriam voltar, e eu disse pros meus pais que eu iria parar de estudar, então, meu pai não deixou, claro! . E então chegou o dia das aulas, e eu não fui no 1º dia, e meu pai achou aquilo muito esquisito, e me perguntou se era alguém que estava mexendo comigo, e eu sempre dizia que não , que não era nada. Resumindo tudo, meu pai foi na escola e descobriu que eu sofria de bullying, desde então a diretora da escola fez uma palestra sobre esse assunto, e agora eu sei do que que eu passava. Mas, apesar dessa palestra, eu ainda passo por bullying, algumas pessoas zombam de mim, mas eu tento ser forte, mas não dá!. E eu só queria mesmo contar um pouquinho da minha história com o bullying!

        abraços :*

        • Elídio Almeida
          Posted at 21:46h, 07 Fevereiro Responder

          Olá Sara!
          Obrigado por ter compartilhado sua história conosco. Bullying é um assunto muito sério e é justamente na escola onde ele mais acontece. Posso imaginar o quanto você sofreu ao longo de todos esses anos e o quanto ainda sofre sendo vítima de bullying. Realmente é uma situação delicada, onde mesmo sofrendo e sendo humilhado, muitas vezes não conseguimos falar ou pedir ajuda aos pais, professores e amigos. Agir assim faz com que as pessoas que praticam o bullying se sintam cada vez mais fortalecidas. Por isso, devemos sempre buscar apoio das pessoas que confiamos para enfrentar os agressores. Sentindo-se apoiada e mais confiante, aos poucos você perceberá mudanças e melhoras. Lembre-se: reúna forças e busque ajuda!

  • Karoline Laís de Castro
    Posted at 16:47h, 16 setembro Responder

    Eu acho muito bom o que você falou sobre o Bullying. Eu estou no 2ºano do ensino médio e estou fazendo um trabalho sobre o Bullying e o que você escreveu me ajudou muito! =)

    Karoline Castro

    • Gabriel
      Posted at 14:54h, 13 outubro Responder

      Eu tbm estou fazendo um trabalho sobre isso e me ajudou muito
      Vlw.

      Gabriel

      • Sara
        Posted at 19:00h, 07 Fevereiro Responder

        oi , eu me chamo sara e sofro de bullying desde pequena. Quando eu estava na 1ª série , já passava por isso, mas eu nem sabia que sofria disso, e além disso, eu nunca contava nada pros meus pais. Então, os anos iam se passando e eu sempre era rejeitada na escola pela minha aparência física. Eu não era bonita como as pessoas achavam, era muito feinha, e por isso não tinha muitos amigos. As pessoas zombavam de mim e etc.. , até o ano passado isso ocorria. Até que um dia no ano passado, no mês de Julho, aconteceu uma coisa ai comigo e as aulas iriam voltar, e eu disse pros meus pais que eu iria parar de estudar, então, meu pai não deixou, claro! . E então chegou o dia das aulas, e eu não fui no 1º dia, e meu pai achou aquilo muito esquisito, e me perguntou se era alguém que estava mexendo comigo, e eu sempre dizia que não , que não era nada. Resumindo tudo, meu pai foi na escola e descobriu que eu sofria de bullying, desde então a diretora da escola fez uma palestra sobre esse assunto, e agora eu sei do que que eu passava. Mas, apesar dessa palestra, eu ainda passo por bullying, algumas pessoas zombam de mim, mas eu tento ser forte, mas não dá!. E eu só queria mesmo contar um pouquinho da minha história com o bullying!

        abraços :*

        • Elídio Almeida
          Posted at 21:46h, 07 Fevereiro Responder

          Olá Sara!
          Obrigado por ter compartilhado sua história conosco. Bullying é um assunto muito sério e é justamente na escola onde ele mais acontece. Posso imaginar o quanto você sofreu ao longo de todos esses anos e o quanto ainda sofre sendo vítima de bullying. Realmente é uma situação delicada, onde mesmo sofrendo e sendo humilhado, muitas vezes não conseguimos falar ou pedir ajuda aos pais, professores e amigos. Agir assim faz com que as pessoas que praticam o bullying se sintam cada vez mais fortalecidas. Por isso, devemos sempre buscar apoio das pessoas que confiamos para enfrentar os agressores. Sentindo-se apoiada e mais confiante, aos poucos você perceberá mudanças e melhoras. Lembre-se: reúna forças e busque ajuda!

  • Bullying: da brincadeira à violência – Matéria com participação de Elídio Almeida « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 13:06h, 25 novembro Responder

    […] julho, escrevi um post aqui no Blog que fala sobre o Bullying (leia aqui) e o texto teve grande repercussão na internet o que levou a equipe da Record a nos convidar para […]

  • Bullying: da brincadeira à violência – Matéria com participação de Elídio Almeida « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 13:06h, 25 novembro Responder

    […] julho, escrevi um post aqui no Blog que fala sobre o Bullying (leia aqui) e o texto teve grande repercussão na internet o que levou a equipe da Record a nos convidar para […]

  • Bullying: da brincadeira à violência – Matéria com participação de Elídio Almeida « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 13:06h, 25 novembro Responder

    […] julho, escrevi um post aqui no Blog que fala sobre o Bullying (leia aqui) e o texto teve grande repercussão na internet o que levou a equipe da Record a nos convidar para […]

  • carina
    Posted at 17:45h, 01 Março Responder

    O assunto é super legal,pois trás com detales como é causado o bullyng,esse texto orienta as pessoas as medidas que se deve tomar,pois uma vez o ato cometido jamais será esquecido.

  • carina
    Posted at 17:45h, 01 Março Responder

    O assunto é super legal,pois trás com detales como é causado o bullyng,esse texto orienta as pessoas as medidas que se deve tomar,pois uma vez o ato cometido jamais será esquecido.

  • carina
    Posted at 17:45h, 01 Março Responder

    O assunto é super legal,pois trás com detales como é causado o bullyng,esse texto orienta as pessoas as medidas que se deve tomar,pois uma vez o ato cometido jamais será esquecido.

  • Adson
    Posted at 15:08h, 11 Março Responder

    o texto é bem informativo pois além de alertar sobre as agressões que muito vem sofrendo mostra tanbém um caminho que é proucurar um aconpanhamento psicologico que apesar de não mudar o passado vai interferir e muito no seu futuro.

  • Adson
    Posted at 15:08h, 11 Março Responder

    o texto é bem informativo pois além de alertar sobre as agressões que muito vem sofrendo mostra tanbém um caminho que é proucurar um aconpanhamento psicologico que apesar de não mudar o passado vai interferir e muito no seu futuro.

  • Adson
    Posted at 15:08h, 11 Março Responder

    o texto é bem informativo pois além de alertar sobre as agressões que muito vem sofrendo mostra tanbém um caminho que é proucurar um aconpanhamento psicologico que apesar de não mudar o passado vai interferir e muito no seu futuro.

  • Rodnei
    Posted at 11:40h, 13 Março Responder

    Esse Tema é muito interessante,pois ele aborda tudo em que muitas pessoas vem sofrendo hoje nas escolas e nas ruas. e o que em achei de mais interessante nisso tudo é que tem Profissional sempre disposto a ajudar pessoas que sofri isso tudo.”Fico muito grato pelo seu trabalho Elidio Almeida”.

  • Rodnei
    Posted at 11:40h, 13 Março Responder

    Esse Tema é muito interessante,pois ele aborda tudo em que muitas pessoas vem sofrendo hoje nas escolas e nas ruas. e o que em achei de mais interessante nisso tudo é que tem Profissional sempre disposto a ajudar pessoas que sofri isso tudo.”Fico muito grato pelo seu trabalho Elidio Almeida”.

  • Rodnei
    Posted at 11:40h, 13 Março Responder

    Esse Tema é muito interessante,pois ele aborda tudo em que muitas pessoas vem sofrendo hoje nas escolas e nas ruas. e o que em achei de mais interessante nisso tudo é que tem Profissional sempre disposto a ajudar pessoas que sofri isso tudo.”Fico muito grato pelo seu trabalho Elidio Almeida”.

  • taina
    Posted at 20:46h, 16 Março Responder

    adorei o tema pois e 1 dos assuntos mais em alta no momento e importante pra as pessoas verem que isso nao e 1 brincadeira e sim violençia psicologica.

  • taina
    Posted at 20:46h, 16 Março Responder

    adorei o tema pois e 1 dos assuntos mais em alta no momento e importante pra as pessoas verem que isso nao e 1 brincadeira e sim violençia psicologica.

  • taina
    Posted at 20:46h, 16 Março Responder

    adorei o tema pois e 1 dos assuntos mais em alta no momento e importante pra as pessoas verem que isso nao e 1 brincadeira e sim violençia psicologica.

  • gil emerson
    Posted at 12:35h, 19 Março Responder

    eu achei a materia super interessante, ele mostra uma maneira de enfrentar essa doença que é chamada bullying. Agora eu faço uma pergunta ao senhor o que faz uma pessoa a praticar um bullying,sabendo que ela tem tudo na vida para crescer, e deixa essa doença domina-la.

    • Elídio Almeida
      Posted at 18:45h, 21 Março Responder

      Olá Gil Emerson!
      Obrigado pelo comentário! Muito interessante sua pergunta. São muitas as causas que levam uma pessoa a praticar bullying contra outra. Todavia, no geral, a maioria dos agressores apresenta características comuns: já foram vitimas de bullying em outros contextos; tem um reforço social muito grande quando praticam bullying (as pessoas acham ele popular, líder ou até mesmo capaz de proteger), são pessoas que não tiveram sucesso em outros comportamentos e assim por diante. Porém nada disso justifica a prática do bullying que é comportamento discriminatório e extremamente danoso para todos.

  • gil emerson
    Posted at 12:35h, 19 Março Responder

    eu achei a materia super interessante, ele mostra uma maneira de enfrentar essa doença que é chamada bullying. Agora eu faço uma pergunta ao senhor o que faz uma pessoa a praticar um bullying,sabendo que ela tem tudo na vida para crescer, e deixa essa doença domina-la.

    • Elídio Almeida
      Posted at 18:45h, 21 Março Responder

      Olá Gil Emerson!
      Obrigado pelo comentário! Muito interessante sua pergunta. São muitas as causas que levam uma pessoa a praticar bullying contra outra. Todavia, no geral, a maioria dos agressores apresenta características comuns: já foram vitimas de bullying em outros contextos; tem um reforço social muito grande quando praticam bullying (as pessoas acham ele popular, líder ou até mesmo capaz de proteger), são pessoas que não tiveram sucesso em outros comportamentos e assim por diante. Porém nada disso justifica a prática do bullying que é comportamento discriminatório e extremamente danoso para todos.

  • gil emerson
    Posted at 12:35h, 19 Março Responder

    eu achei a materia super interessante, ele mostra uma maneira de enfrentar essa doença que é chamada bullying. Agora eu faço uma pergunta ao senhor o que faz uma pessoa a praticar um bullying,sabendo que ela tem tudo na vida para crescer, e deixa essa doença domina-la.

    • Elídio Almeida
      Posted at 18:45h, 21 Março Responder

      Olá Gil Emerson!
      Obrigado pelo comentário! Muito interessante sua pergunta. São muitas as causas que levam uma pessoa a praticar bullying contra outra. Todavia, no geral, a maioria dos agressores apresenta características comuns: já foram vitimas de bullying em outros contextos; tem um reforço social muito grande quando praticam bullying (as pessoas acham ele popular, líder ou até mesmo capaz de proteger), são pessoas que não tiveram sucesso em outros comportamentos e assim por diante. Porém nada disso justifica a prática do bullying que é comportamento discriminatório e extremamente danoso para todos.

  • Samuel(aluno nv)
    Posted at 00:24h, 22 Março Responder

    super interesante a palestra …
    pois e algo q acontce diariamente na vida pricipalmente de jovens
    q as vezes levam ate na ”brincadeira” pois pensam q n ter uma saida , sem saber q esse ato e um Crime, e a pessoa vai levar esses sitomas do” bullyng ”pro resto da vida dela, ate msm com o tratamento(ele ameniza essa ”dor” muito ,mas não a cura totalmente),pois o tratamento pode tira o restigios da ”marca” mas nao ela toda,essa agressao fisica e psicologia.
    então o melhor evitar ofeder alguem
    pois msm por ”brincadeira” a pessoa pode esta sendo um crimoso ”sem saber”!

  • Samuel(aluno nv)
    Posted at 00:24h, 22 Março Responder

    super interesante a palestra …
    pois e algo q acontce diariamente na vida pricipalmente de jovens
    q as vezes levam ate na ”brincadeira” pois pensam q n ter uma saida , sem saber q esse ato e um Crime, e a pessoa vai levar esses sitomas do” bullyng ”pro resto da vida dela, ate msm com o tratamento(ele ameniza essa ”dor” muito ,mas não a cura totalmente),pois o tratamento pode tira o restigios da ”marca” mas nao ela toda,essa agressao fisica e psicologia.
    então o melhor evitar ofeder alguem
    pois msm por ”brincadeira” a pessoa pode esta sendo um crimoso ”sem saber”!

  • Samuel(aluno nv)
    Posted at 00:24h, 22 Março Responder

    super interesante a palestra …
    pois e algo q acontce diariamente na vida pricipalmente de jovens
    q as vezes levam ate na ”brincadeira” pois pensam q n ter uma saida , sem saber q esse ato e um Crime, e a pessoa vai levar esses sitomas do” bullyng ”pro resto da vida dela, ate msm com o tratamento(ele ameniza essa ”dor” muito ,mas não a cura totalmente),pois o tratamento pode tira o restigios da ”marca” mas nao ela toda,essa agressao fisica e psicologia.
    então o melhor evitar ofeder alguem
    pois msm por ”brincadeira” a pessoa pode esta sendo um crimoso ”sem saber”!

  • juliana santana de jesus
    Posted at 14:23h, 25 Março Responder

    AO assistir o filme Bullyng (2009) fiquei me pergutando qual seria a melhor soluçaõ para o problema de juddy ( O ATOR QUE SOFRIA AS AGREÇOES NO FILME ) e fiquei muito indecisa com relação ao que faria se estivese no lugar dele,não conseguir encontrar uma resposta muito plausivel para a situação,a unica coisa que pensei que faria seria reagir as agressões,mas depois pesando os fatos na balança,para mim seria muito mais fácil,pois teria que enfrentar meninas,e colocando em pauta que sempre fui muito alto confiante com relação a atividades fisicas não me abalaria muito. SÓ que no caso dele era diferente ele era vulneravel,é aí que está a moral das “BRINCADEIRAS” eles escolhem justamente as pessoas mais vulneraveis para serem vitímas e pisam exatamente em suas feridas,fazendo com que pensem que estão num beco sem saída,o que é uma ilusao provocada simplesmente pelo medo,ilusão essa que é facilmente notada por quem esta fora da situação,que sabe que a solução seria simplesmente contar e pedir ajuda a pessoas que voce confia.

  • juliana santana de jesus
    Posted at 14:23h, 25 Março Responder

    AO assistir o filme Bullyng (2009) fiquei me pergutando qual seria a melhor soluçaõ para o problema de juddy ( O ATOR QUE SOFRIA AS AGREÇOES NO FILME ) e fiquei muito indecisa com relação ao que faria se estivese no lugar dele,não conseguir encontrar uma resposta muito plausivel para a situação,a unica coisa que pensei que faria seria reagir as agressões,mas depois pesando os fatos na balança,para mim seria muito mais fácil,pois teria que enfrentar meninas,e colocando em pauta que sempre fui muito alto confiante com relação a atividades fisicas não me abalaria muito. SÓ que no caso dele era diferente ele era vulneravel,é aí que está a moral das “BRINCADEIRAS” eles escolhem justamente as pessoas mais vulneraveis para serem vitímas e pisam exatamente em suas feridas,fazendo com que pensem que estão num beco sem saída,o que é uma ilusao provocada simplesmente pelo medo,ilusão essa que é facilmente notada por quem esta fora da situação,que sabe que a solução seria simplesmente contar e pedir ajuda a pessoas que voce confia.

  • juliana santana de jesus
    Posted at 14:23h, 25 Março Responder

    AO assistir o filme Bullyng (2009) fiquei me pergutando qual seria a melhor soluçaõ para o problema de juddy ( O ATOR QUE SOFRIA AS AGREÇOES NO FILME ) e fiquei muito indecisa com relação ao que faria se estivese no lugar dele,não conseguir encontrar uma resposta muito plausivel para a situação,a unica coisa que pensei que faria seria reagir as agressões,mas depois pesando os fatos na balança,para mim seria muito mais fácil,pois teria que enfrentar meninas,e colocando em pauta que sempre fui muito alto confiante com relação a atividades fisicas não me abalaria muito. SÓ que no caso dele era diferente ele era vulneravel,é aí que está a moral das “BRINCADEIRAS” eles escolhem justamente as pessoas mais vulneraveis para serem vitímas e pisam exatamente em suas feridas,fazendo com que pensem que estão num beco sem saída,o que é uma ilusao provocada simplesmente pelo medo,ilusão essa que é facilmente notada por quem esta fora da situação,que sabe que a solução seria simplesmente contar e pedir ajuda a pessoas que voce confia.

  • MARILUZ REIS
    Posted at 17:42h, 26 Março Responder

    Em primeiro lugar gostaria de parabeniza-lo pelo texto e agradecer pelas informações, hoje muitas pessoas sofrem ou praticam o bullyng, mas não reconhecem.
    Sem nenhuma duvida isso mexe e marca a vida de qualquer um, sem falar que muitas vezes acaba afetando não so a vitima, mas tambem sua familia.
    Que outras pessoas possam ter acesso a esse texto e divulga-lo, quem sabe assim se acabe com algo tão prejudicial a vida.

  • MARILUZ REIS
    Posted at 17:42h, 26 Março Responder

    Em primeiro lugar gostaria de parabeniza-lo pelo texto e agradecer pelas informações, hoje muitas pessoas sofrem ou praticam o bullyng, mas não reconhecem.
    Sem nenhuma duvida isso mexe e marca a vida de qualquer um, sem falar que muitas vezes acaba afetando não so a vitima, mas tambem sua familia.
    Que outras pessoas possam ter acesso a esse texto e divulga-lo, quem sabe assim se acabe com algo tão prejudicial a vida.

  • MARILUZ REIS
    Posted at 17:42h, 26 Março Responder

    Em primeiro lugar gostaria de parabeniza-lo pelo texto e agradecer pelas informações, hoje muitas pessoas sofrem ou praticam o bullyng, mas não reconhecem.
    Sem nenhuma duvida isso mexe e marca a vida de qualquer um, sem falar que muitas vezes acaba afetando não so a vitima, mas tambem sua familia.
    Que outras pessoas possam ter acesso a esse texto e divulga-lo, quem sabe assim se acabe com algo tão prejudicial a vida.

  • naty
    Posted at 15:49h, 30 Março Responder

    estou estudando sobre isto e vi coisas tristes sobre isto e tenso e crime na escola ? voces agresores gostariam que fossem os pais,parentes,primos?nao entao noa cometam o mesmo com as pessoas thau naty

  • naty
    Posted at 15:49h, 30 Março Responder

    estou estudando sobre isto e vi coisas tristes sobre isto e tenso e crime na escola ? voces agresores gostariam que fossem os pais,parentes,primos?nao entao noa cometam o mesmo com as pessoas thau naty

  • naty
    Posted at 15:49h, 30 Março Responder

    estou estudando sobre isto e vi coisas tristes sobre isto e tenso e crime na escola ? voces agresores gostariam que fossem os pais,parentes,primos?nao entao noa cometam o mesmo com as pessoas thau naty

  • Hoje é dia de Festa!!! « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 02:05h, 13 Abril Responder

    […] Bullying é o tema mais acessado; […]

  • Hoje é dia de Festa!!! « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 02:05h, 13 Abril Responder

    […] Bullying é o tema mais acessado; […]

  • Hoje é dia de Festa!!! « Elídio Almeida | Psicólogo
    Posted at 02:05h, 13 Abril Responder

    […] Bullying é o tema mais acessado; […]

  • lulu
    Posted at 15:52h, 26 dezembro Responder

    amei e estou fasendo o trabalho bullying

  • lulu
    Posted at 15:52h, 26 dezembro Responder

    amei e estou fasendo o trabalho bullying

  • lulu
    Posted at 15:52h, 26 dezembro Responder

    amei e estou fasendo o trabalho bullying

Deixe uma resposta